SABERES E PRÁTICAS TRADICIONAIS DA EXTRAÇÃO DO ÓLEO DE Carapa guianenses Abul. (ANDIROBA) EM ÁREA DE VÁRZEA DO MUNICÍPIO DE IGARAPÉ-MIRI, PA

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Aline Dias Brito Tayse Fernanda do Amaral silva Roberta Fátima Rodrigues Coelho Louise Ferreira Rosal

Resumo

O presente estudo objetivou descrever os processos de extração tradicional do óleo de Carapa guianensis Aubl. (andiroba) em Projetos de Assentamentos Agroextrativistas (PAEX) das várzeas do Município de Igarapé-Miri, PA. Os dados foram obtidos por meio de questionários estruturados e semiestruturado com 14 pessoas que trabalham com andiroba em 4 PAEX - ilhas Mamangal, Mutirão, Jarembú e Buçu. A extração do óleo de andiroba é realizada por 10 dos 14 entrevistados - e consiste em dois métodos artesanais: extração em superfície inclinada e no tipiti. O processo de extração de óleo envolve três etapas: coleta e seleção das sementes, preparo da massa e a extração do óleo. O óleo é destinado ao uso familiar, seguidos de doação e venda, os preços variam entre R$ 10,00 a R$ 40,00. A atividade de extração do óleo é uma alternativa viável de renda aos extrativistas, possui grande potencial para promover o desenvolvimento local e possibilitar renda a esses trabalhadores.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
BRITO, Aline Dias et al. SABERES E PRÁTICAS TRADICIONAIS DA EXTRAÇÃO DO ÓLEO DE Carapa guianenses Abul. (ANDIROBA) EM ÁREA DE VÁRZEA DO MUNICÍPIO DE IGARAPÉ-MIRI, PA. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 15, n. 3, p. 13, oct. 2020. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/23165>. Acesso em: 24 oct. 2020. doi: https://doi.org/10.33240/rba.v15i3.23165.
Seção
Artigos

Referências

BADKE, M. R.; et al. Saberes e práticas populares de cuidado em saúde com o uso de plantas medicinais. Revista Florianópolis, v.21, n. 2, p. 363 – 70, 2012.
BARBOSA, R. C. Estudo do potencial da produção de óleo de andiroba (Carapa guianensis Aubl.) na floresta nacional do Amapá: aspectos ecológico, econômico e social. Macapá, AP: 2015. 59p. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Ambientais) - Universidade Federal do Amapá. 2015.
BARROS, B. T.; TRINDADE, P. C. Análise da produção de Produtos Florestais Não Madeireiros no Brasil e no Pará entre 1990-2015. 2017. Revista Observatorio de la Economía Latinoamericana. Disponível em: http://www.eumed.net/cursecon/ecolat/br/17/producao-produtos-florestais.html. Acesso em: 12 de mar 2019.
BRASIL, R. V.; et al. Caracterização física e química do óleo de pequi exposto a diferentes condições de armazenamento. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O PROGRESSO DA CIÊNCIA, 63., 2011. Maceió. Anais... Maceió: SBPC, 2011. Disponível em: http://www.sbpcnet.org.br/livro/63ra/conpeex/pibic/trabalhos /renata_v.pdf. Acesso em: 15 set. 2018.
BRASIL. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, Brasília, v.24, 15p, 2012.
CALLE, D. A. C. Manejo, conservação e mudanças comunitárias associadas ao uso de andiroba (Carapa spp.) na Reserva Extrativista do Rio Jutaí-Amazonas. Manaus, AM: 2012. 92p. Dissertação (Mestrado em ciências florestais tropicais) – Instituto Nacional de Pesquisa na Amazônia. Amazonas, 2012.
CALLE, D. A. C; et al. Práticas de uso e manejo tradicional de Carapa spp. (andiroba) na Reserva Extrativista do Rio Jutaí, Amazonas, Brasil. Revista Ciências Humanas, v. 1, n. 1, p. 519 – 540, 2014.
CAVALCANTE, G. H. R.; et al. Estudo viscosimétrico de polióis a base do óleo de andiroba (Carapa guianensis Aubl.). Revista Virtual de Química, v. 8, n. 3, p. 926-944, 2016.
COSTA, J. R.; MORAES, R. R. Carapa guianensis Aubl. (andirobeira) em Sistemas Agroflorestais. EMBRAPA Amazônia Oriental, 2013. 21 p.
DAVID, M.; PASA, M. Ribeirinhos e recursos vegetais: a etnobotânica em Bonsucesso, Várzea Grande, Mato Grosso. FLOVET – Boletim do grupo de pesquisa da flora, vegetação e etnobotânica, v. 1, n. 8, p. 35 – 49. 2016.
FERRAZ, I. D. Andiroba Carapa guianensis Aubl. 2003. Disponível em: https://www.inpa.gov.br/sementes/iT/1_Andiroba.pdf. Acessado em: 27 dez. 2018.
FERRAZ, I. D.; et al. sementes e plântulas de andiroba (carapa guianensis Aubl. e carapa procera Dc): aspectos botânicos, ecológicos e tecnológicos. ACTA AMAZONICA, v. 32, n. 4, p. 647- 661, 2002.
FRANCO, E. O Tapajós que eu ví (Memórias). Santarém, Coordenadoria Municipal de Cultura, 1998. 176p.
FURTADO, D. C. Entre o extrativismo e a catação: utilização das sementes de andiroba (Carapa Guianensis Aublet.) no Município de Marapanim (Pará, Brasil). 2012. 118 P. Dissertação (mestrado em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável) - Universidade Federal do Pará. Belém, 2012.
GARCIA, W. S.; et al. Demanda de produtos florestais não madeireiros: o caso do açaí e da castanha-do-pará. Revista em Agronegócio e Meio Ambiente, v. 11, n. 4, p. 1039-1059, 2018.
GOMES, H. S. R. Estrutura populacional e produção de andiroba em terra firme e várzea no sul do Amapá 81 p. 2010. Dissertação (Mestrado em Biodiversidade tropical) – Universidade Federal do Amapá, Macapá, 2010.
HOMMA, A. K. O. Extrativismo vegetal na Amazônia: história, ecologia, economia e domesticação. Brasília, DF. Embrapa, 2014. 468 p.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Censo do município de igarapé-mirim-PA. 2017. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/ brasil/pa/igarape-miri/panorama. Acesso em: 02 de jun. de 2018.
ISLA, C. D. S.; et al. Estrutura e distribuição espacial de uma população de Carapa guianensis Alblet em floresta de várzea do Estuário Amazônico. In: CONGRESSO FLORESTAL LATINO-AMERICANO, 7., Vitória, 2018. Anais.... Espirito Santo, v.3, 2018.
JESUS-BARROS, C. R.; et al. Registro da ocorrência de Hypsipyla ferrealis e Hypsipyla grandella (Lepidoptera: Pyralidae) em frutos de andirobeiras (Carapa guianensis, Meliaceae) em Macapá–AP, Brasil. Ciência Florestal, v. 25, n. 3, p. 765-769, 2015.
LEITE, A. M. C. Ecologia de Carapa guianensis Aublet. (Meliaceae) “andiroba”, 1997. 181p Tese (Doutorado em Biologia Ambiental) - Universidade federal do Pará/Museu Paraense Emilio Goeldi, Belém. 1997.
LIMA, R. S. Na safra e na entressafra do açaí: usos do território e modo de vida da população ribeirinha do baixo Rio Meruú (Igarapé – Miri/PA). 2015. 138 p. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Pará, Belém, 2015.
MELLINGER, L. L. Aspectos da regeneração natural e produção de sementes de Carapa guianensis Aubl. (andiroba) na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã (AM). 2006. 81 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Instituto Nacional de Pesquisas Amazônicas, Universidade Federal do Amazonas, Manaus.2006
MENDONÇA, A. P.; FERRAZ, I. D. K. Óleo de andiroba: processo tradicional da extração, uso e aspectos sociais no estado do Amazonas, Brasil. Acta Amazônica, vol. 3, p. 353 – 364, 2007.
MENEZES, A. J. E. A. O histórico do sistema extrativo e a extração de óleo de andiroba cultivado no município de Tomé-Açu, estado do Pará. 2005. Disponível em: https://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/bitstream/doc/576188/1/142.pdf. Acesso em: 15 nov. 2018.
MONTEIRO, M. V. M. Avaliar a atividade antimicrobiana de óleos essenciais Citronela (Cymbopogon winterianus) e Andiroba (Carapa guianensis Aubl) em cepas clínicas de Staphylococcus aureus e Escherichia coli. 2017. Disponivel em: https://ri.ufs.br/bitstream/riufs/7450/2/MICHELE_VIT%C3%93RIA_DE_MELO_MONTEIRO.pdf. Acessado em: 11 out 2018.
PADILHA, M. I. C.; et al. A Responsabilidade do pesquisador ou sobre o que dizemos acerca da ética em pesquisa. Texto & Contexto Enfermagem, v. 14, n. 1, p. 96-105, 2004.
PELEGRINI, S.; FUNARI, P. O que é patrimônio cultural imaterial. 1. ed. São Paulo: Brasiliense, 2017. 79 p.
PENA, J. W. P. Frutificação, produção e predação de sementes de Carapa guianensis AUBL. (Meliaceae) na Amazônia Oriental Brasileira. 2007. 60 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) - Universidade Federal Rural da Amazônia, Belém, 2007.
PEREIRA, M. R. N.; TONINI, H. Fenologia da andiroba (Carapa guianensis, Aubl., Meliaceae) no sul do estado de Roraima. Ciência Florestal, v. 22, n. 1, p. 47-58, 2012.
PRESCE, C. Oleaginosas da Amazônia. 2 ed. Belém, Museu Paraense Emilio Goeldi, 2009.
REIS, A. A. R.; ALMEIDA, O. T. Desenvolvimento sustentável e estratégias de uso dos recursos naturais em área de várzea no Baixo Tocantins, Amazônia. In: Desenvolvimento & Sustentabilidade. Oriana Trindade de Almeida, Sílvio Lima Figueiredo, Saint-Clair Cordeiro da Trindade Jr. (Organizadores) - Belém: NAEA, 2012. p.161-176.
SANTANA, M. D. O. et al. O poder das plantas medicinais: uma análise histórica e contemporânea sobre a fitoterapia na visão de idosas. Multidebates, v. 2, n. 2, p. 10-27, 2018.
SANTOS, M. Conhecimento Ecológico Local sobre as Andirobeiras e a Extração Artesanal do Óleo de Andiroba em Uma Área de Proteção Ambiental, Floresta de Várzea Periurbana. Macapá. 2013. 110p. Dissertação (Biodiversidade Tropical) - Universidade Federal do Amapá.
SANTOS, M. N.; et al. Saberes tradicionais em uma unidade de conservação localizada em ambiente periurbano de várzea: etnobiologia da andirobeira (Carapa guianensis Aublet). Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 1, n. 1, p. 93-108, 2014.
SANTOS, R. S.; PELLICCIOTTI, A. S. Ocorrência de Hypsipyla ferrealis Hampson (lepidoptera: pyralidae) em andiroba no estado do acre. Ciência Florestal, v. 26, n. 3, p. 995-998, 2016.
SILVA, A. M. F. Saberes cotidianos e azeite de Andiroba: A presença da mulher extrativista, no contexto histórico das práticas socioculturais dos sujeitos da Ilha de Juba, Cametá-Pa. 2009. 370 p. Dissertação (Mestrado em História Social na Amazônia) - Universidade Federal do Pará, Belém, 2009.
SILVA, K. P.; et al. Produção e predação de sementes de andiroba em floresta de várzea estuarina na Amazônia. In: Embrapa Amapá-Artigo em anais de congresso. In: encontro latino americano de universidades sustentáveis, 2., 2015, porto alegre. Desafios do desenvolvimento sustentável para universidades latino americanas após a década da educação e os objetivos do milênio. Porto Alegre: Escola de Administração. UFRGS, 2015.
SILVEIRA, D.T; CÓRDOVA, F. P. Unidade 2–a pesquisa científica. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: UFRGS, p. 31-42, 2009.
SIMÕES, C. M. O. et al. Farmacognosia: da planta ao medicamento., ed. 5. Porto Alegre: UFSC, 2004
SOARES, I. D. S.; OTOBO, A. O.; RIBEIRO, C. F. A.; ESPIRITO SANTO, K. R.A. Caracterização socioeconômica e de aspectos produtivos do extrativismo de sementes oleaginosas amazônicas na mesorregião do Marajó-Município de Salvaterra, Pará, Brasil. Revista Observatorio de la Economía Latinoamericana, v2, p. 1-23, 2017.
SOENTGENA, J.; HILBERT, K. A Química Dos Povos Indígenas Da América Do Sul. Quim. Nova, Vol. 39, N. 9, 1141-1150, 2016
TAVARES, A. A. S.; et al. Estatística municipal de Igarapé-Miri. Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas – FAPESPA. 2016. Disponível em: http://www.parasustentavel.pa.gov.br/wp-content/uploads/2017/04/Igarape%CC%81-Miri.pdf. Acesso em: 15 nov 2018.
TOLEDO, V. M. M.; BARRERA-BASSOLS, N. A etnoecologia: uma ciência pós-normal que estuda as sabedorias tradicionais. Desenvolvimento e Meio ambientes. v. 20, p. 31-45, 2009.
VINUTO, J. A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, v.22, n. 44, p. 203-220, 2014.