LIMITES E POTENCIALIDADES PARA A EXPANSÃO DE SISTEMAS AGROFLORESTAIS DE ERVA-MATE E DE FRUTÍFERAS NO ALTO URUGUAI GAÚCHO

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Ulisses Pereira de Mello Fábio Dal Soglio

Resumo

Sistemas agroflorestais (SAFs) contribuem para moderação do clima e produção sustentável de alimentos. Na Região do Alto Uruguai do RS, há experiências com SAFs desde os anos 2000. Contudo, é lenta a adoção desses sistemas por mais agricultores. Neste trabalho demonstra-se os limites e potencialidades para a adoção de SAFs na região. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 18 atores, entre agricultores, tarefeiros e técnicos, em quatro municípios da região. Aspectos limitantes incluem os conflitos ocorridos na implantação dos SAFs e a saída dos jovens do campo, o que fragiliza as unidades de produção. Por outro lado, os SAFs já implantados são novidades que encorajam para sua maior adoção na região. O Circuito Sul de Comercialização da Rede Ecovida é, também, um aspecto favorável. Considerando os repertórios culturais dos agricultores e novas interfaces para trocas de conhecimento, há um bom potencial para expansão dos SAFs nessa região.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
MELLO, Ulisses Pereira de; SOGLIO, Fábio Dal. LIMITES E POTENCIALIDADES PARA A EXPANSÃO DE SISTEMAS AGROFLORESTAIS DE ERVA-MATE E DE FRUTÍFERAS NO ALTO URUGUAI GAÚCHO. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 15, n. 1, p. 12, mar. 2020. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/23098>. Acesso em: 07 june 2020. doi: https://doi.org/10.33240/rba.v15i1.23098.
Seção
Artigos

Referências

ARCE, Alberto; LONG, Norman. Re-positioning knowledge in the study of rural development. In Symes, D.; Jansen, A.J., (Ed.). Agricultural restructuring and rural change in Europe. Wageningen: Agricultural University Wageningen, 1994, p. 75-86.
CAMARANO, Ana A.; ABRAMOVAY, Ricardo. Êxodo rural, envelhecimento e masculinização no Brasil: panorama dos últimos 50 anos. Rio de Janeiro: IPEA, 1999. Disponível em: Acesso em: 09 abr. 2017.
COELHO, Geraldo Ceni. Sistemas agroflorestais. São Carlos: RiMa, 2012.
FARRELL, John G.; ALTIERI, Miguel A. Sistemas agroflorestais. In: ALTIERI, Miguel A. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. Guaíba: Agropecuária, 2002. p. 413-439.
FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? 10. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.
FROEHLICH, José M.; RAUBER, Cassiane da C. Dinâmica demográfica rural na Região Central do Rio Grande do Sul: êxodo seletivo e masculinização. In: CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA RURAL, 47., 2009, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: SOBER, 2009. p. 1-14. Disponível em: . Acesso em: 05 maio 2017.
FUNDAÇÃO SOS MATA ATLÂNTICA – SOSMA; INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS - INPE. Atlas dos remanescentes florestais da Mata Atlântica: período 2012-2013. Relatório Técnico. São Paulo, 2014. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2015.
HOLT-GIMÉNEZ, Eric. Campesino a campesino: Voces de Latinoamérica – Movimiento Campesino para la Agricultura Sustentable. Managua: SIMAS, 2008.
KING, Kenneth F. S. The history of agroforestry. Nairobi: ICRAF, 1987.
LONG, Norman. Sociología del desarrollo: una perspectiva centrada en el actor. México: Centro de Investigaciones y Estudios Superiores en Antropología Social/El Colegio de San Luis, 2007.
LONG, Norman; PLOEG, Jan D. V. D. Heterogeneidade, ator e estrutura: para a reconstituição do conceito de estrutura. In: SCHNEIDER, Sérgio; GAZOLLA, Márcio. Os atores do desenvolvimento rural: perspectivas teóricas e práticas sociais. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2011. p. 21-48.
MAY, Peter H.; TROVATTO, Cássio M. M. (Coord.). Manual agroflorestal para a Mata Atlântica. Brasília, DF: MDA, 2008.
MELLO, Ulisses P. de et al. (Coord). Diálogos para o futuro na comunidade da Vaca Morta, Três Arroios (RS). Relatório final. Disciplina: DER 354 - Construção do conhecimento agroecológico. Porto Alegre: PGDR/UFRGS, jan. 2013.
MONTOYA, Luciano; MAZUCHOWSKI, Jorge Z. Estado da arte dos sistemas agroflorestais na Região Sul do Brasil. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SISTEMAS AGROFLORESTAIS, 1.,1994, Colombo. Anais... Colombo: Embrapa Florestas, 1994. p. 77-96.
NAIR, P. K. Ramachandran. An introduction to agroforestry. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, 1993.
OLIVEIRA, Daniela et al. A produção de novidades: como os agricultores fazem para fazer diferente? In: SCHNEIDER, Sérgio; GAZOLLA, Márcio. Os atores do desenvolvimento rural: perspectivas teóricas e práticas sociais. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2011. p. 91-113.
OOSTINDIE, Henk; BROEKHUIZEN, Rudolf V. The Dynamics of Novelty Production. In: PLOEG, Jan D. V. D.; MARSDEN, Terry. Unfolding webs: the dynamics regional rural development. Wageningen: ETUDE, 2008. p. 68-86. Disponível em: . Acesso em: 4 mar. 2009.
ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS - ONU. ONU destaca contribuição das florestas para acabar com a fome. Brasília, 07 de maio de 2018. Disponível em: Acesso em: 08 maio 2015.
PLOEG, Jan D. V. D. et al. On regimes, novelties, niches and co-production. In: WISKERKE; Johannes S. C.; PLOEG, Jan D. V. D. Seeds of transition: essays on novelty production, niches and regimes in agriculture. Assen: Gorcum, 2004. p. 1-30.
PLOEG, Jan D. V. Dealing with novelties: a grassland experiment reconsidered. Journal of Environmental Policy and Planning, Abingdon, v. 8, n. 3, p. 199-218, 2006.
PLOEG, Jan D. V. D. Camponeses e impérios alimentares: lutas por autonomia e sustentabilidade na era da globalização. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.
QUIVY, Raymond; CAMPENHOUDT; Luc V. Manual de investigação em ciências sociais. Lisboa: Gradiva, 1992.
REDE BRASILEIRA AGROFLORESTAL - REBRAF. Informações básicas sobre sistemas agroflorestais. Rio de Janeiro, 1994.
SANTOS, Boaventura de S. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Novos Estudos, São Paulo, n. 79, p. 71-94, 2007. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2014.
SCHNEIDER, Sérgio. Mercados e agricultura familiar. In: MARQUES, Flávia C.; CONTERATO, Marcelo A.; SCHNEIDER, Sérgio (Org.). Construção de mercados e agricultura familiar: desafios para o desenvolvimento rural. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2016. p. 93-140.
SCHREINER, Camila T. Contribuições dos sistemas agroflorestais na estratégia de reprodução socioeconômica de famílias agricultoras do Alto Uruguai, RS. 2014. 71 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) – Curso de Engenharia Florestal, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2014.
STUIVER, Marian. Highlighting the retro side of innovation and its potential for regime change in agriculture. In: MARSDEN, Terry; MURDOCH, Jonathan (Ed.). Between the local and the global, confronting complexity in the contemporary agri-food sector. Amsterdan: Elsevier, 2006. p. 147-173. (Research in Rural Sociology and Development, v. 12).
TOLEDO, Víctor M.; BARRERA-BASSOLS, Narciso. La memoria biocultural: la importancia ecológica de las sabidurías tradicionales. Barcelona: Icaria, 2008.
VIANA, Virgílio M.; DUBOIS, Jean C. L.; ANDERSON, Anthony. Manual agroflorestal para a Amazônia. v. 1. Rio de Janeiro: REBRAF, 1996.