ÁRVORES NATIVAS PARA ARBORIZAÇÃO URBANA NO SUL DE SANTA CATARINA, BRASIL

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Guilherme Alves Elias Vanilde Citadini-Zanette http://orcid.org/0000-0002-1326-1328 Robson Santos http://orcid.org/0000-0002-0018-6066

Resumo

A escolha das espécies é um fator de grande importância no planejamento da arborização urbana. Nas cidades da região sul do Brasil, a introdução de árvores exóticas invasoras pode ser prontamente observada, funcionando como centros de dispersão dessas espécies para os ambientes naturais urbanos e rurais. Dessa forma, deve-se atentar para o uso inadequado dessas espécies. Em contraposição, o uso de espécies nativas contribui para a manutenção da biodiversidade natural. Esse estudo tem por objetivo selecionar espécies arbóreas nativas para arborização urbana, fornecendo dados dendrológicos, fenológicos e de uso paisagístico, contribuindo, desse modo, para a conservação e implantação de áreas verdes. Foram selecionadas 60 espécies arbóreas com potencial paisagístico, que ocorrem em um fragmento urbano de Floresta Ombrófila Densa. Dentre elas, 41 foram consideradas de grande porte, reforçando o uso aplicado para paisagismo de grandes áreas. Predominou a folhagem perene (81%), o sombreamento denso (63%) e a copa arredondada (46%). A coloração predominante das flores foi branca. No contexto atual de valorização da biodiversidade, o espaço urbano deve garantir a conservação do maior número possível de espécies e, ao mesmo tempo, sensibilizar as pessoas sobre a importância da biodiversidade regional.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ELIAS, Guilherme Alves; CITADINI-ZANETTE, Vanilde; SANTOS, Robson. ÁRVORES NATIVAS PARA ARBORIZAÇÃO URBANA NO SUL DE SANTA CATARINA, BRASIL. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 15, n. 5, p. 12, dec. 2020. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/22907>. Acesso em: 12 may 2021. doi: https://doi.org/10.33240/rba.v15i5.22907.
Seção
Artigos

Referências

ALVARES, C. A.; et al. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, v. 22, n. 6, p. 711-728, 2013.
BACK, A.J. Caracterização Climática. In: MILIOLI, G.; SANTOS, R.; CITADINI-ZANETTE, V. (Org.). Mineração de carvão, meio ambiente e desenvolvimento sustentável no Sul de Santa Catarina: uma abordagem interdisciplinar. Curitiba: Juruá, 2009. p. 17-33.
BACK, A. J.; et al. (Org.). Cidade e Meio Ambiente: estudos Interdisciplinares. Criciúma: Ediunesc, 2010. p. 207-228.
BACKES, P.; IRGANG, B. Árvores do Sul: guia de identificação & interesse ecológico. Porto Alegre: Instituto Souza Cruz, 2002. 326 p.
BACKES, P.; IRGANG, B. Mata Atlântica: as árvores e a paisagem. Porto Alegre: Paisagem do Sul, 2004. 395 p.
BECHARA, F. C.; et al. Aspectos da arborização urbana ecológica. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais, Aracaju, v. 7, n. 1, p. 49-55, 2015.
BEHE, B.; et al. Consumer preferences for geranium flower color, leaf variegation, and price. HortScience, v. 34, p. 740-742, 1999.
BENTSEN, P.; et al. Reviewing eight years of urban forestry & urban greening: talking stock, looking ahead. Urban Forestry & Urban Greening, v. 9, n. 4, p. 273-280, 2010.
BFG. The Brazil Flora Group. Growing knowledge: an overview of Seed Plant diversity in Brazil. Rodriguésia, v. 66, n. 4, p. 1085-1113, 2015.
BIONDI, D.; ALTHAUS, M. Árvores de rua de Curitiba: cultivo e manejo. Curitiba: FUPEF; 2005. 180 p.
BOSA, D. M.; et al. Florística e estrutura do componente arbóreo de uma Floresta Ombrófila Densa Montana em Santa Catarina, Brasil. Revista Árvore, v. 39, n. 1, p. 49-58, 2015.
BRUN, F. G. K.; et al. O emprego da arborização na manutenção da biodiversidade de faunas em áreas urbanas. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, v. 2, n. 1, p. 117-127, 2007.
CARVALHO, P. E. R. Espécies arbóreas brasileiras. V. 1. Brasília: Embrapa Florestas, 2003. 1038 p.
CARVALHO, P. E. R. Espécies arbóreas brasileiras. V. 2. Brasília: Embrapa Florestas, 2006. 627 p.
CARVALHO, P. E. R. Espécies arbóreas brasileiras. V. 3. Brasília: Embrapa Florestas, 2008. 593 p.
CARAUTA, J. P. P.; DIAZ, B. E. Figueiras no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2002. 211 p.
CAZNOK, J.; et al. Árvores e arbustos das praças do município de Criciúma, Santa Catarina. Revista de Tecnologia e Ambiente, v. 11, p. 101-113, 2005.
CAZNOK, J.; et al. Arborização das cidades: direito à biodiversidade e à cidade saudável. In: GONÇALVES, T.M.; SANTOS, R. (Org.). Cidade e Meio Ambiente: estudos interdisciplinares. Criciúma: Ediunesc, 2010. p. 255-286.
CEMIG. Companhia Energética de Minas Gerais. Manual de arborização. Belo Horizonte: Cemig/Fundação Biodiversitas, 2011. 112 p.
CHAMAS, C. C.; MATTHES, L. A. F. Método para levantamento de espécies nativas com potencial ornamental. Revista Brasileira de Horticultura Ornamental, Campinas, v. 6, n. 1/2, p. 53-63, 2000.
CITADINI-ZANETTE, V.; et al. Vegetação arbustivo-arbórea em fragmentos florestais do Sul de Santa Catarina, Brasil. In: MILIOLI, G.; SANTOS, R.; CITADINI-ZANETTE, V. (Coord.). Mineração de carvão, meio ambiente e desenvolvimento sustentável no Sul de Santa Catarina: uma abordagem interdisciplinar. Curitiba: Juruá, 2009. p. 10-142.
CONSEMA. Conselho Estadual do Meio Ambiente. Resolução Consema N. 08, de 14 de setembro de 2012. Diário Oficial de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2012.
COOK, G.R. Report of the general superintendent of parks. Second Annual Report of the Board of Park Commissioners. Cambridge: Washington, Govt. Print, 1894. 72 p.
ELIAS, G. A; et al. Árvores de um fragmento florestal urbano em Santa Catarina, sul do Brasil: florística e estrutura. Ciência Florestal, v. 28, n. 4, p. 1755-1769, 2018.
EMER, A. A.; et al. Avaliação quantitativa e qualitativa da arborização do bairro Santa Terezinha na cidade de Pato Branco (PR). Ambiência, Guarapuava, v. 9, n. 1, p. 129-143, 2013.
FREITAS, A. F.; et al. Diagnóstico quantitativo e qualitativo da arborização do espaço intra-urbano da UFPB Campus I. Gaia Scientia, v. 10, n. 4, p. 236-251, 2016.
GONÇALVES, W.; PAIVA, H. N. Árvores para o ambiente urbano. Viçosa: Aprenda Fácil, 2004. 157 p.
HEIDEN, G.; et al. Considerações sobre o uso de plantas ornamentais nativas. Revista Brasileira de Horticultura Ornamental, Campinas, v.12, n.1, p.2-7, 2006
KAPLAN, R.; KAPLAN, S. The Experience of Nature. New York: Cambridge University, 1989. 340 p.
KAPLAN, R.; KAPLAN, S. Well-being, Reasonableness, and the Natural Environment. Applied Psychology, Health and Well-Being, v. 3, n. 3, p. 304-321, 2011.
KAUFMAN, A. J.; LOHR, V.I. Does plant color affect emotional and psysiological responses to landscapes? Acta Horticulturae, v. 639, p. 229-233, 2004.
KINNAFICK, F. E.; THOGERSEN-NTOUMANI, C. The effect of the physical environment and levels of activity on affective states. Journal of Environmental Psychology, n. 38, p. 241-251, 2014.
KRAMER, J. A.; KRUPEK, R. A. Caracterização florística e ecológica da urbanização praças públicas do município de Guarapuava-PR. Revista Árvore, v. 36, n. 4, p. 647-658, 2012.
LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil. 2. ed. Nova Odessa: Plantarum, 1998. 368 p.
MARCHIORI, J. N. C. Elementos de Dendrologia. 2. ed. Santa Maria: Editora da UFSM, 2004. 216 p.
MARTINEZ, J. G.; GONÇALVES, T. M. Natureza e qualidade de vida: significados e possibilidades. In: GONÇALVES, T. M.; SANTOS, R. (Org.). Cidade e Meio Ambiente: estudos interdisciplinares. Criciúma: Ediunesc, 2010. p.109-122.
MARTINI, A. Estudo fenológico em árvores de ruas. In: BIONDI, D.; LIMA NETO, E.M. (Org.). Pesquisas em Arborização de Ruas. Curitiba: O autor, 2011. p. 29-48.
MENDONÇA, L. B.; ANJOS, L. Beija-flores (Aves, Trochilidae) e seus recursos florais em uma área urbana do Sul do Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, v. 22, n. 1, p. 51-59, 2005.
MILANO, M. S.; DALCIN, E. Arborização de vias públicas. Rio de Janeiro: Light; 2000. 206 p.
PIERRE, S.; et al. Soil microbial nitrogen cycling and nitrous oxide emissions from urban afforestation in the New York City Afforestation Project. Urban Forestry & Urban Greening, v. 15, p. 149-154, 2016.
REIS, A. Flora Ilustrada Catarinense. Itajaí: Herbário Barbosa Rodrigues, 1989-2011.
REIS, A.; et al. Critérios para a seleção de espécies na arborização urbana. Sellowia, Itajaí, n. 53-55, p. 51-67, 2003.
REITZ, A. Flora Ilustrada Catarinense. Itajaí: Herbário Barbosa Rodrigues, 1965-1989.
ROSSETTI, A. I. N.; et al. As árvores e suas interfaces no ambiente urbano. REVSBAU, Piracicaba, v. 5, n. 1, p. 1-24, 2010.
RUFINO, M. R.; et al. Exóticas, exóticas, exóticas: reflexões sobre a monótona arborização de uma cidade brasileira. Rodriguésia, Rio de Janeiro, v. 70, e03562017, 2019.
SANCHOTENE, M. C. C. Frutíferas nativas úteis à fauna na arborização urbana. Porto Alegre: SOGRA, 1989. 311 p.
SIQUEIRA, J.C. Bioinvasão vegetal: dispersão e propagação de espécies nativas e invasoras exóticas no campus da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO). Pesquisas (Botânica), v. 57, p. 319-330, 2006.