Impactos ambientais da implantação do sistema de Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS) em unidades familiares do Distrito Federal.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Marcela Guzman Munoz JOÃO PAULO GUIMARÃES SOARES Ana Maria Resende Junqueira Pedro Canuto Macedo Sales

Resumo





O objetivo deste estudo foi avaliar os impactos ambientais da implantação da tecnologia (PAIS) em unidades familiares no Distrito Federal. O estudo foi conduzido em 26 unidades, divididas em três grupos: Grupo A - em conformidade para produção orgânica; Grupo B - em processo de transição agroecológica; Grupo C - de subsistência. Para a coleta de dados utilizou-se o Sistema Produção Sustentável - AMBITEC AGRO, com dados de aspectos gerais, indicadores e variáveis da dimensão ambiental, que atribuíram a cada variável um valor que representou a alteração proporcionada pela implantação da tecnologia. A análise estatística incluiu o cálculo da Percentagem de Impacto Ambiental da Tecnologia (PIT), que reporta, de forma prática, o ganho percentual da tecnologia para cada unidade, e o teste de Wilconxon, identificando os indicadores mais significativos. Foi observado um progresso ambiental com a implantação da tecnologia, obtendo um PIT para o Grupo A de 24,8%, Grupo B de 21,3% e Grupo C de 17,3%, que contribuiu no aumento na qualidade do solo e redução do uso de insumos, impactando positivamente os três grupos avaliados





##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
MUNOZ, Marcela Guzman et al. Impactos ambientais da implantação do sistema de Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS) em unidades familiares do Distrito Federal.. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 15, n. 5, p. 11, dec. 2020. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/22871>. Acesso em: 12 may 2021. doi: https://doi.org/10.33240/rba.v15i5.22871.
Seção
Artigos

Referências

ASSIS, R. L. DE; ROMEIRO, A. R. Agroecologia e agricultura orgânica: controvérsias e tendências. Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 6, n. 6, p. 67–80, 2002. Disponível em: .

BRASIL. Lei no 10.831, 23 de dezembro de 2003. Dispõe sobre agricultura orgânica e dá outras providências. Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos, p. 8, 2003. Disponível em: .

ALTIERI, M; NICHOLLS, C. Agroecología: Teoría y práctica para una agricultura sustentable. Programa de las Naciones Unidas para el Medio Ambiente.Red de Formación Ambiental para América Latina y el Caribe.México, 2000.

AQUINO, A. M; Assis, R. L. Agroecologia: princípios e técnicas para uma agricultura orgânica sustentável. Embrapa Informação tecnológica. Brasília - DF, 2005.

BARBOSA, L. K. Produção agroecologia integrada e sustentável no município de Mogeiro – PB. Trabalho de conclusão de curso (Geografia). Universidade Estadual de Paraibá., 2013.

BARRETO, H. F. Impacto do manejo agroecológico da caatinga em unidades de produção familiar no oeste potiguar. Dissertação (Mestrado em Ciências Animais) UFERSA,2010.

BERTONI, F. M. A tecnologia social de produção agroecológica integrada e sustentável - PAIS - na comunidade quilombola chácara do Buriti - Campo Grande/MS. Dissertação (Desenvolvimento Local) – Universidade Católica Dom Bosco, 2011.

BRASIL. Instrução normativa nº 46, de 06 de outubro de 2011. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 06 Outubro. 2011. Seção 1.

CORDEIRO, K. et al. A Tecnologia Social e o Modo de Produção de Hortaliças da Comunidade Quilombola Chácara Buriti, em Campo Grande – MS. Revista Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural (SOBER). Campo Grande, 2010.

EHLERS, E. Agricultura Sustentável: origens e perspectivas de um novo paradigma. Guaíba: Editora Agropecuária.2. Ed., 1999.

FIGUEIREDO, E. A. P. De; Soares, J. P. G. Sistemas orgânicos de produção animal: dimensões técnicas e econômicas. In: Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 49., 2012, Brasília.
FUNDAÇÃO BANCO DE BRASIL. Tecnologia Social na Fundação Banco do Brasil: Soluções para o Desenvolvimento Sustentável. Brasilia, 2009.

IRIAS, L. J. et al. Sistema de avaliação de impacto ambiental de inovações tecnológicas nos segmentos agropecuário, produção animal e agroindústria (sistema AMBITEC). Circular técnica Embrapa. Brasil. 2004. Disponível em: .

KHATOUNIAN, C. A. A reconstrução ecológica da agricultura. Botucatu: Agroecológica, 2001.

MEIRELLES, M. R.; Rupp, L.C. Agricultura ecológica. Princípios básicos. Ministério de desenvolvimento agrário – Centro ecológico. Secretaria da agricultura familiar. Brasil, 2005.

NEVES, D. A. L. Escolhas estratégicas para produção de carne bovina orgânica no Brasil. Dissertação (Mestrado em Agronegócios). UnB, 2012.

PAVAN, M. et al. Tecnologia Social, agroecologia e agricultura familiar: análises sobre um processo sociotécnico. Revista Segurança Alimentar e Nutricional. São Paulo. 8, 169-181, 2013.

RODRIGUES, G. S. et al. Avaliação de Impacto Ambiental da Inovação Tecnológica Agropecuária: AMBITEC-AGRO. Jaguariúna: Embrapa Meio Ambiente, 2003. 95p

_________. Avaliação de impactos ambientais na agropecuária. Gestão Ambiental na Agropecuária. Embrapa Informação Tecnológica. Brasília, 2006.

ROMÃO, M. A. Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS), uma tecnologia social para construção da segurança alimentar. In: Morais, L.; Borges, A. Novos paradigmas de produção e consumo Experiências inovadoras. São Paulo. Instituto Pólis, 2010. f. 56 – 98.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS – SEBRAE. Produção Agroecológica Integrada e Sustentável – PAIS. Brasil, 2006. 20 f.

SOARES, J.P.G; Rodrigues, G.S. Avaliação social e ambiental de tecnologias Embrapa: Metodologia Ambitec-Agro. In: Workshop em Avaliação Econômica de Projetos e Impactos de Tecnologias da Embrapa. Pereira, M.A; Malafaia, G.(Org) Campo Grande: Embrapa Gado de Corte, 2013. 95p. (Documentos 205) (ISSN 1983-974X)