Produtos Florestais Não Madeireiros da Mata Atlântica no sul de Santa Catarina

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Guilherme Alves Elias Robson dos Santos

Resumo

Produto florestal não madeireiro (PFNM) refere-se aos diferentes produtos vegetais e animais que se obtém de ambientes florestais, incluindo frutas, fibras, sementes, plantas medicinais e aromáticas, materiais para artesanato, entre outros. São bens de origem biológica diferentes da madeira, assim como serviços derivados das florestas e do uso das terras vinculadas a estes sistemas. Os PFNM constituem um meio de subsistência para muitas comunidades, sendo também elementos significativos da economia rural e regional em diversos países e fazem parte de prática ancestral, economicamente viável de extração, que mantém a estrutura e funcionalidade da floresta intacta e tem surgido como meio capaz de manter a biodiversidade, de maneira sustentável. O objetivo do estudo foi contribuir para o conhecimento dos PFNM da Mata Atlântica do Sul de Santa Catarina. O levantamento contemplou apenas espécies arbóreas. As espécies analisadas foram hierarquizadas com base na respectiva análise de Valor Potencial de Exploração Sustentável (VPES) dos PFNM, integrando-se às informações obtidas a partir de revisão bibliográfica: densidade, parte usada, capacidade de regeneração natural e crescimento, conhecimento sobre biologia reprodutiva e dinâmica populacional, processamento requerido e nível de injúria ou toxicidade. Do total de 79 espécies, 38 atingiram VPES superior a 10, sendo consideradas de elevado potencial de exploração sustentável de PFNM. Os resultados obtidos evidenciaram alternativas sustentáveis de uso dos recursos florestais no sul de Santa Catarina.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ELIAS, Guilherme Alves; DOS SANTOS, Robson. Produtos Florestais Não Madeireiros da Mata Atlântica no sul de Santa Catarina. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 13, n. 4, oct. 2018. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/22788>. Acesso em: 16 oct. 2018.
Seção
Resumos de Dissertações e Teses