SISTEMAS DE AVALIAÇÃO DE TERRAS E CONHECIMENTOS ETNOPEDOLÓGICAS NO PLANEJAMENTO DE ASSENTAMENTOS RURAIS: UM ESTUDO DE CASO NOS MARES DE MORRO DE MINAS GERAIS

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Helder Ribeiro Freitas Ivo Jucksch Elpídio Inácio Fernandes Filho France Maria Gontijo Coelho Irene Maria Cardoso Eliana de Souza

Resumo

Esse trabalho busca analisar a aplicação dos métodos de avaliação de terras e contribuições do
conhecimento etnopedológico na implantação de assentamentos, a partir de estudo de caso
envolvendo a implantação do Primeiro de Junho, Tumiritinga, MG. Nesse, foram compiladas
informações de documentação de criação, de vivências e entrevistas semiestruturadas às famílias.
Realizou-se, também, o levantamento de solos, a classificação das terras pelos Sistemas Capacidade de
Uso e Aptidão Agrícola, além da identificação das Unidades Ambientais percebidas pelos agricultores.
Constatou-se correlação entre os critérios e recomendações de usos das classes de Capacidade de Uso
e Aptidão Agrícola das Terras. Os saberes locais de solos e ambiente extrapolam os critérios dos
sistemas de avaliação de terras. O Sistema Capacidade de Uso não se relaciona, em seus fundamentos,
com a dinâmica diversidade da agricultura na realidade dos assentamentos. O Sistema Aptidão
Agrícola pode contribuir com a implantação de assentamentos, desde que utilizado sem
parametrizações e que as recomendações sejam elaboradas de forma dialógica e contextualizada com
o conhecimento local das famílias.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
FREITAS, Helder Ribeiro et al. SISTEMAS DE AVALIAÇÃO DE TERRAS E CONHECIMENTOS ETNOPEDOLÓGICAS NO PLANEJAMENTO DE ASSENTAMENTOS RURAIS: UM ESTUDO DE CASO NOS MARES DE MORRO DE MINAS GERAIS. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 13, n. 3, june 2018. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/22579>. Acesso em: 16 oct. 2018.
Seção
Artigos

Referências

ALVES, G. C. A.; MARQUES, J. G. W. Etnopedologia: uma nova disciplina? IN.: Tópicos em Ciência do Solo: Volume IV. Viçosa, MG: SBCS, 2005. p. 321-344.
BARUQUI, F. M. Inter-relações solo-pastagem nas regiões Mata e Rio Doce do estado de Minas Gerais. 1982. 119f. Dissertação (Mestrado em Solos e Nutrição de Plantas) – Departamento de Solos, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 1982.
BRASIL. Lei Nº 4504 de 30 de novembro de 1964. Estatuto da Terra. Brasília, 30 de nov. 1964. Disponível em: Acesso em 10 abr. 2007.
BRASIL. CONAMA. CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução Nº 237 de 19 de dezembro de 1997. Revisa procedimentos e critérios utilizados no licenciamento ambiental de forma a incorporar ao sistema de licenciamento os instrumentos de gestão ambiental e a integrar a atuação dos órgãos do SISNAMA na execução da Política Nacional do Meio Ambiente. Brasília, 20 de dez. 1997. 8p.
BRASIL. CONAMA. CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução de Nº 289 de 25 de outubro de 2001. Estabelece diretrizes para o Licenciamento Ambiental de Projetos de Assentamentos de Reforma Agrária. Brasília, 26 de out. 2001. 12p.
BRASIL. II Plano Nacional de Reforma Agrária: paz, produção e qualidade de vida no meio rural. Brasília: MDA, 2003. 38p.
BRASIL. CONAMA. CONSELHO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE. Resolução de Nº 387 de 27 de dezembro de 2006. Estabelece procedimentos para o Licenciamento Ambiental de Projetos de Assentamentos de Reforma Agrária. Brasília, 27 de dez. 2006. 15p.
CARDOSO, I.M. Percepção e uso, por pequenos agricultores, dos ambientes de uma microbacia no município de Ervália-MG. Viçosa, MG. 195p. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Viçosa, 1993.
COELHO, F. M. G. A arte das orientações técnicas no campo: concepções e métodos. 2. ed. rev. ampl. Viçosa: Suprema, 2014. 188p.
COSTA, T. e C. da; RAMOS, D. P.; PEREIRA, N. R.; BAÇA, J. F. M.; FIDALGO, E. C. C. Favorabilidade de Terras para agricultura familiar por meio da análise multicritério. Geografia. Londrina, v. 14, n. 2, p.5-47, jul./dez. 2005
EMBRAPA. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 1. ed. Brasília: EMBRAPA Produção de Informações. Rio de Janeiro: EMBRAPA Solos, 1999. 412p.
EMBRAPA. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Manual de Métodos de Análise de Solos. 2. ed. Rio de Janeiro: EMBRAPA Solos. 1997. 212p.
FAVERO, C. Uso e degradação de solos na microrregião de Governador Valadares, MG. 2001. 80f. Tese (Doutorado em Solos e Nutrição de Plantas). Universidade Federal de Viçosa. Viçosa. 2001
FERREIRA NETO, J. A.; CARVALHO, M. M. J. (Org’s.). Avaliação e capacitação dos técnicos do programa de assessoria técnica, social e ambiental à reforma agrária - ATES. 1. ed. Belo Horizonte: INCRA, 2006. 182p.
FERREIRA NETO, J. A.; RAMOS, M. M. Diagnóstico socioeconômico e ambiental do projeto final de assentamento (PFA) do PA Primeiro de Junho, município de Tumiritinga, MG. Viçosa: UFV/FUNARBE. 2005. 100p.
FERREIRA NETO, J. A.; RAMOS, M. M. Diagnóstico socioeconômico e ambiental e projeto final de assentamento (PFA) do PA Santa Rosa/Córrego das Posses, município de Itaipé-MG. Viçosa: UFV/FUNARBE. 2004. 110p.
FRANCELINO, M. R.; FERNANDES FILHO, E. I.; RESENDE, M. Elaboração de um sistema de capacidade suporte em ambiente semi-árido. Rev. Bra. de Eng. Agr. e Amb. Campina Grande, v.9, n.1, p.83-91, 2005.
FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 9. ed. Rio de São Paulo: Paz e Terra. 1998. 165p.
FREITAS, H. R. Distinção de ambientes e parcelamento de assentamentos rurais: uma abordagem metodológica. 2004. 152f. Dissertação (Mestrado em Solos e Nutrição de Plantas) – Departamento de Solos, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2004.
FREITAS, H. R. Contribuição da Etnopedologia no Planejamento da Ocupação e Uso do Solo em Assentamentos Rurais. 2009. 158f. Tese Doutorado (Pós-graduação em Solos e Nutrição de Plantas) Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.
FREITAS, H. R.; COELHO, F.M.; JUCKSCH, I.; PEREIRA, J.R.; FERNANDES FILHO, E.I.. Sustentabilidade Socioambiental em Áreas de Reforma Agrária: tipo ideal enquanto instrumento de avaliação, planejamento e intervenção social. Extramuros, Petrolina-PE, v.4, n.2, p 12-32, 2016. Disponível em: http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/extramuros/article/viewFile/870/571 Acessado em 10 jan. 2017.
FREITAS, H. R.; D’ÁVILA, C. R.; RAGGI, R. V. Parcelamento participativo, estratificação ambiental e capacidade de assentamento do Roseli Nunes, Pequi, Minas Gerais. In.: CONGRESSO BRASILEIRO DE MANEJO E CONSERVAÇÃO DE SOLO E ÁGUA. 15., 2004, Santa Maria. Anais... Viçosa: SBCS, 2004. 5p. CD Rom.
IBGE. Manual Técnico de Pedologia. 2. ed. Rio de Janeiro: IBGE/Coordenação de Recursos Naturais, 2005. 300p.
INCRA. Avaliação de Imóveis Rurais: Módulo III. Brasília: INCRA, 2006. 29p. Disponível em: Acesso em: 09 abr. 2007.
LEMOS, R. C. de; SANTOS, R. D. dos. Manual de descrição e coleta de solo no campo. 3 ed. Campinas: SBCS, 1996. 84p.
LEPSCH, I. F. Manual para levantamento utilitário do meio físico e classificação de terras no sistema de capacidade de uso. 1. ed. Campinas: SBCS, 1991, 175p.
MANCIO, D; MENDONÇA, E.S; CARDOSO, I.M; MUGLLER, C.C. Construção do conhecimento em solos no assentamento Olga Benário: O problema das voçorocas. Rev. Bras. de Agroecologia. 8, 2, p. 121-134, 2013.
MARINHO, C.M; FREITAS, H.R. Utilização de Metodologias Participativas nos processos de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER): Fundamentos teórico-práticos. Extramuros, Petrolina-PE, v.3, p. 10-28, edição especial, 2015. Disponível em http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/extramuros/article/viewFile/744/464. Acesso em 01de junho de 2016.
MATOS, L. V. Conhecimentos na análise de ambientes: a pedologia e o saber local em comunidade quilombola do norte de Minas Gerais. 2008. 168 p. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG.
MELO, M. A. de. Elaboração de ante-projeto de parcelamento em áreas de reforma agrária, utilizando recursos do Geoprocessamento. 2001. 34f. Monografia (Especialização em Geoprocessamento) – Instituto de Geociências da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2001.
OLIVEIRA, F.P. de. Ecologia da monodominância de aroeira (Myracrodruon urundeuva Fr.All.) em floresta tropical estacional no Médio Rio Doce, MG. 2015. Tese (Doutorado em Solos e Nutrição de Plantas) – Departamento de Solos, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2015.
PEREIRA, J. R.; OLIVEIRA, A. A. de; D’ÁVILA, C. A. R.; SUASSUNA, C. M.; GAIA, M. C. de M. Plano de Desenvolvimento do Assentamento Colônia dos Ciganos. Viçosa:UFV/UNB. 2003. 83p.
RAMALHO FILHO, A. PEREIRA, E. G., BEEK, K. J. Sistema de avaliação da aptidão agrícola das terras. 1. ed. Brasília: EMBRAPA, 1978.70p.
RESENDE, M.; CURI, N.; RESENDE, S.; CORRÊA. G. F. Pedologia: uma base para distinção de ambientes. 3. ed. Viçosa: NEPUT, 1999, 369p.
SCHINEIDER, P.; KLAMPT, E.; SANTOS, F. J. dos. Divisão racional de terras em projetos de assentamento. Porto Alegre: INCRA, Gabinete de Reforma Agrária. 2002. 6p.
SILVA, C. E. M. Análise agroambiental de imóveis para uma reforma agrária sustentável. Brasília: MDA/NEAD, 2003. 18p. Disponível em: acesso em: 15 out. 2003.
SPAROVEK, G. A qualidade dos assentamentos de reforma agrária da brasileira. 1. ed. São Paulo: Páginas & Letras Editora e Gráfica. 2003. 204p.
TRINDADE, E de S. Avaliação ambiental em áreas de assentamentos de reforma agrária: o caso do PA Campo Novo, Jequitinhonha, MG. 2004. 81f. Tese (Doutorado em Solos e Nutrição de Plantas) – Departamento de Solos, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2004.
TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: pesquisa qualitativa em educação. 1. ed. São Paulo: Atlas. 1987, 173p.
VALENTE, E.L. Caracterização da Intensidade de Degradação do Solo e da Cobertura Vegetal de uma área no Médio Rio Doce, utilizando imagem IKONOS II. 89f. Dissertação (Mestrado em Solos e Nutrição de Plantas) – Departamento de Solos, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2005.
VILELA, M. de F. Interação de técnicas de geoprocessamento e levantamento participativo de informações sócio-ambientais: um subsídio para a reforma agrária. 2002. 135f. Tese (Doutorado em Ciência Florestal) – Departamento de Engenharia Florestal, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2002.