LEVANTAMENTO DE PLANTAS FITOSSANITÁRIAS UTILIZADAS NO MANEJO DE PRAGAS AGRÍCOLAS

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

ÉRIKA ALEXANDRA E SOUZA GOMES DE OLIVEIRA DE ARAÚJO SILVIA DIAS DA COSTA FERNANDES MARINA NEVES DELGADO

Resumo

O manejo de pragas com o uso de plantas fitossanitárias é uma importante prática para se evitar
perdas na produção agrícola. Nesse sentido, objetivou-se conhecer as plantas fitossanitárias usadas
pelos agricultores familiares de Planaltina (DF), assim como determinar a mais utilizada, o tipo de
cultura mais suscetível e o tipo de parasita mais combatido. Foram realizadas trinta entrevistas
semiestruturadas no Núcleo Rural Santos Dumont. Shapiro-Wilk e Kruskal-Wallis foram estimados para
a normalidade e distribuição das médias, respectivamente. O aprendizado dos agricultores sobre
plantas fitossanitárias foi, principalmente, geracional. Porém, foi constado que esse conhecimento
depende do interesse específico do produtor. Os agricultores citaram 22 espécies, sendo o fumo a mais
relatada (H = 61,76; p < 0,01). Plantas hortícolas foram as mais suscetíveis a pragas (H = 46,22; p < 0,01)
e os principais problemas foram com insetos folívoros, sobretudo mastigadores (H = 49,04; p < 0,01).
Constatou-se conhecimento dos agricultores para manejo de pragas sem o uso de agrotóxicos. No
entanto, o uso de fumo necessita de melhor controle, pois sua toxicidade é alta para as pessoas.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
E SOUZA GOMES DE OLIVEIRA DE ARAÚJO, ÉRIKA ALEXANDRA; DIAS DA COSTA FERNANDES, SILVIA; NEVES DELGADO, MARINA. LEVANTAMENTO DE PLANTAS FITOSSANITÁRIAS UTILIZADAS NO MANEJO DE PRAGAS AGRÍCOLAS. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 13, n. 4, oct. 2018. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/22475>. Acesso em: 16 oct. 2018.
Seção
Notas Agroecológicas

Referências

ALBUQUERQUE, U. P.; LUCENA, R. F. P.; ALENCAR, N. L. Métodos e técnicas para a coleta de dados. In: ALBUQUERQUE, U. P.; LUCENA, R. F. P.; CUNHA L. V. F. C. (Ed.). Métodos e Técnicas na Pesquisa Etnobotânica. Recife: Editora NUPEEA, 2010. p. 40-64.
AMORIM, L.; REZENDE, J. A. M.; BERGAMIN FILHO, A. Manual de Fitopatologia. Vol. 1. São Paulo: Editora Agronômica Ceres Ltda., 2011.
ANDOW, D.A.Vegetational Diversity and Arthropod Population Response. Annual Review of Entomology, v. 36, p. 561-586, 1991.
ÁVILA, J.M.; GRATEROL, Y.E. Planting date, row spacing and fertilizer effects on growth and yield of sesame (Sesamum indicum L.). Bioagro, v. 17, n. 1, p. 35-40, 2005.
BARBOSA, F.S.; LEITE, G.L.D.; ALVES, S.M.; NASCIMENTO, A.F.; D'ÁVILA, V.A.; COSTA C.A. Insecticide effects of Ruta graveolens, Copaifera langsdorffii and Chenopodium ambrosioides against pests and natural enemies in commercial tomato plantation. Acta Scientiarum Agronomy, v. 33, n. 1, p. 37-43, 2011.
BOARETTO, M.A.C.; FORTI, L.C. Perspectivas no controle de formigas cortadeiras. Série Técnica IPEF, v. 11, p. 31-46, 1997.
BRECHELT, A. Manejo Ecológico de Pragas e Doenças. Santa Cruz: Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor, 2004.
CARVALHO, H.H. C.; CRUZ, F.T.; WIEST, J.M. Atividade antibacteriana em plantas com indicativo etnográfico condimentar em Porto Alegre, RS/Brasil. Revista de Plantas Medicinais, v.7, n. 3, p. 25-32, 2005.
CORRÊA, J.C.R.; SALGADO, H.R.N. Atividade inseticida das plantas e aplicações: revisão Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Botucatu, v.13, p. 500-506, 2011.
FILGUEIRA, F.A.R. Novo Manual de Olericultura: agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. Viçosa: UFV, 2005.
ISMAN, M.B. Plant essential oils for pest and disease management. Crop Protection, v.19, p. 603-8, 2000.
KLINK, C. A.; MOREIRA, A. G. Past and current human occupation, and land use. In: OLIVEIRA, P. S.; MARQUIS, R. J. (Ed.) The Cerrados of Brazil: Ecology and Natural History of a Neotropical Savanna. New York: Columbia University Press, 2002. p. 69-90.
KOGER, L.M. Onion poisoning in cattle. Journal of American Veterinary Medical Association, v. 129, p. 75, 1956.
LIN, C. M. Plantas Medicinais Aromáticas e Condimentares: Avanços na Pesquisa Agronômica. Botucatu: Universidade Estadual Paulista, 1998.
LORENZI, H.; MATOS, F. J. A. Plantas Medicinais no Brasil: Nativas e Exóticas. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2008.
LOVATTO, P.B.; GOETZE, M.; THOMÉ, G.C.H. Efeito de extratos de plantas silvestres da família Solanaceae sobre o controle de Brevicoryne brassicae em couve (Brassica oleracea var. acephala). Ciência Rural, v. 34, p. 971-978, 2004.
MATOS, F. J. A.; LORENZI, H.; SANTOS, L. F. L.; MATOS, M. E. O.; SILVA, M. G. V.; SOUZA, M. P. Plantas Tóxicas: Estudo de Fitotoxicologia Química de Plantas Brasileiras, Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2011. 247p.
MERTEN, G.H.; MINELLA, J.P. Qualidade da água em bacias hidrográficas rurais: um desafio atual para a sobrevivência futura. Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, v. 3, p. 33-38, 2002.
PANIZZA, S. Plantas que curam. 3 Ed., São Paulo: IBRASA, 1989. 280 p.
PERIN, A.; CRUVINEL, D. J.; SILVA, J.W. Desempenho do gergelim em função da adubação NPK e do nível de fertilidade do solo. Acta Scientiarum Agronomy, v. 32, n. 1, p. 93-98, 2010.
PICANÇO, M.; GUEDES, R.N.C. Manejo Integrado de Pragas no Brasil: situação atual, problemas e perspectivas. Ação Ambiental, v. 2, p. 23-27, 1999.
PLANALTINA. Administração Regional de Planaltina. Disponível em: http://www.planaltina.df.gov.br/planaltina.html. Acesso em: 25 de mai. 2015.
ROGATTO, L. Agricultura familiar. Ciência e Cultura, v. 65, n. 1, p. 08-10, 2013.
SANTANA, E.L. ; MACHINSKI JUNIOR, M. O uso de praguicidas por trabalhadores do setor agrícola atendidos ambulatorialmente em Maringá no período de 2002 a 2003. Acta Scientiarum Health Sciences, v. 26, p. 325-329, 2004.
SCHMIDT, M.L.; GODINHO, P.H. Um breve estudo acerca do cotidiano do trabalho dos produtores rurais: intoxicações por agrotóxicos e subnotificação. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v. 31, p. 27-40, 2006.
SIMÕES, C.M.O.; MENTZ, L.A.; SCHENKEL, E.P.; IRGANG, B.E.; STEHMANN, J.R. Plantas da Medicina Popular do Rio Grande do Sul. 4 ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 1998.
SOUSA JÚNIOR, I.T.S.; SALES, N.L.P; MARTINS, E.R. Efeito fungitóxico de óleos essenciais sobre Colletotrichum gloeosporioides, isolado do maracujazeiro amarelo. Revista Biotemas, v. 22, n.3, p.77-83, 2009.
SOUSA, M.S.; SERRA, I.M.R.S.; MELO, T.A. Efeito de óleos essenciais como alternativa no controle de Colletotrichum gloeosporioides, em pimenta. Summa Phytopathologica, v. 38, n. 1, p. 42-47, 2012.
TABASHNIK, B. E.; ROUSH, R. T. Introduction. In: ROUSH, R. T.; TABASHNIK, B. E. (Ed.). Pesticide resistance in arthropods. New York: Chapman and Hall, 1990. p.1-3.
TAVARES, A.P.M.; SALLES, R.F.M.; OBRZUT, V.V. Efeito ovicida de nim, citronela e sassafrás sobre a mosca branca Bemisia spp. Revista Acadêmica: Ciências Agrárias e Ambientais, v. 8, p. 153-159, 2010.
THORP, F.; HARSHFIELD, G.S. Onion poisoning of horses. Journal of American Veterinary Medical Association, v. 94, 52-53, 1939.
TOGNI, P. H. B. Bases ecológicas para o manejo de Bemisia tabaci (Genn.) biótipo B (Hemiptera: Aleyrodidae) em sistemas orgânicos de produção de tomate. 2009. 110 p. Dissertação (Mestrado em Ecologia) – Instituto de Ciências Biológicas, Universidade de Brasília, Brasília, 2009. Disponível em: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/4220/1/2009_PedroHenriqueBrumTogni.pdf. Acesso em: 16 de jun. 2017.
VAN KAMPEN, K.R.; JAMES, L.F.; JOHNSON, M.S. Hemolytic anemia in sheep fed wild onion (Allium validum). Journal of American Veterinary Medical Association, v. 156, p. 328-332, 1970.
ZAMBOLIM, L.; VALE, F. X. R.; COSTA, H.; JULIATTI, F. C. Manejo Integrado Medidas de Controle. In: VALE, F. X. R.; JESUS-JUNIOR, W. C.; ZAMBOLIM, L. (Ed.). Epidemiologia aplicada ao manejo de doenças de plantas. Belo Horizonte: Editora Perfil, 2004. p. 465-526.