FORMAÇÃO EM PESQUISA E EM EXTENSÃO EM AGROECOLOGIA

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Samuel Laudelino Silva

Resumo

O Núcleo de Formação Pesquisa e Extensão em Agroecologia (NATER) atua na fronteira Brasil-Bolívia,
desde 2009, em vários municípios do território da grande Cáceres. O objetivo do NATER é empoderar
técnica e politicamente de forma contínua, a partir da valorização dos saberes individuais e locais, os
atores sociais da agricultura familiar, agentes da assistência técnica e extensão rural do sudoeste de
Mato Grosso, e a comunidade acadêmica. O núcleo busca contribuir para a conservação dos bens
naturais e para a melhoria da qualidade de vida do agricultor familiar, reconhecendo, entre outros, a
importância da produção de subsistência dos quintais. Partindo do intercâmbio de conhecimentos entre
a academia e a sociedade, o núcleo procura integrar o ensino, a pesquisa e a extensão. O objeto de
estudo do núcleo é a agroecologia em interface com a produção orgânica, a segurança alimentar e
nutricional, a pesquisa e a extensão tecnológica, a agroindustrialização familiar, o incentivo à utilização
pela população de espécies nativas com propriedades fitoterápicas e alimentícias.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
SILVA, Samuel Laudelino. FORMAÇÃO EM PESQUISA E EM EXTENSÃO EM AGROECOLOGIA. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 13, n. 1, july 2018. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/22450>. Acesso em: 26 oct. 2021.
Seção
Artigos

Referências

BOGDAN, R; BIKLEN, S.K. Investigação Qualitativa em Educação. Porto, Portugal: Porto, 1994.
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Fundamentos teóricos, orientações e procedimentos
metodológicos para a construção de uma pedagogia de ATER. Brasília: MDA/SAF, 2010. 45 p. Disponível em:
_pedagogia_ATER.pdf>Acesso em: 15 fev. 2018.
CAMPOLIN, A. I; FEIDEN, A. Metodologias Participativas em Agroecologia. Documentos 115. 2011. EMBRAPA
PANTANAL.
CARTA BACUPARI. III Curso de Formação de Agentes de ATER: Extensão Agroecológica em Mato Grosso
(NATER/UNEMAT). 09 a 13 de novembro de 2015. 02 p. Pontes e Lacerda/MT. 2015. Arquivo do NATER/UNEMAT.
CASTRO, L. M. C. A universidade, a extensão universitária e a produção de conhecimentos emancipadores. In:
REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 27. Caxambu, 2004. Anais... Caxambu: ANPEd, 2004.
FEITOSA, S. C. S. Método Paulo Freire: princípios e práticas de uma concepção popular de educação. Dissertação
de mestrado defendida na FE-USP (1999).
FRAGOSO, A. Desenvolvimento Participativo: uma sugestão de reformulação conceptual. Revista Portuguesa de
Educação, Braga, v. 18, n. 1, p.23-51, 2005.
LIMA, G. M. de et al. Patentes sociais: a importância da criação de tecnologias voltadas a inclusão social e a
priorização da concessão dessas patentes. ISTI –Aracaju/SE – 23 a 25/09/ 2015. Vol. 3/n.1/ p.380-386. D. Disponível
em: . Acesso em: 06 mar. 2018.
LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 2005.
MOITA, F. M. G. da S. C.; ANDRADE, F. C. B. de. Ensino-pesquisa-extensão: um exercício de indissociabilidade na
pós-graduação. Revista Brasileira de Educação. v. 14 n. 41. 2009.
RAYS, O. A. Ensino-Pesquisa-Extensão: notas para pensar a indissociabilidade. Revista Cadernos de Educação
Especial. n. 21, 2003, p. 71- 85.
SANTOS, B. de S. (Org.). Conhecimento prudente para uma vida decente. São Paulo: Cortez, 2004. p. 757-776.
VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. Tradução Jéferson Luiz Camargo; revisão técnica José Cipolla Neto. São Paulo: Martins Fontes, 1993.
WOODS, P. Aspectos sociais da criatividade do professor. In: NÓVOA, António (Org.). Profissão professor. Porto:
Porto Editora, 1995.