UFSCAR AGROECOLÓGICA: UMA REDE PARA CONSTRUÇÃO E SOCIALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO AGROECOLÓGICO

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Ricardo Serra Borsatto Henrique Carmona Duval Bruna Carolina de Meira Carolina Rios Thomson

Resumo

O presente texto apresenta o processo de construção e consolidação de uma rede universitária
(UFSCar Agroecológica) voltada à promoção de atividades de ensino, pesquisa e extensão dentro da
temática da agroecologia; bem como reflexões sobre as dificuldades enfrentadas e conquistas
alcançadas no decorrer desse processo. As informações apresentadas foram sistematizadas a partir de
quatro temas propostos pela Matriz de Sistematização de Experiências, elaborada pela Associação
Brasileira de Agroecologia, com o intuito de compartilhar a experiência de construção de
conhecimentos agroecológicos em rede. Ao fim, o texto apresenta o legado que vem sendo edificado
pela rede, que propicia a construção de “espaços agroecológicos” de elevado valor simbólico na
universidade que promovem caminhos para o desenvolvimento rural focados na Agricultura Familiar e
na Agroecologia; nos quais se produz e se compartilha novas formas de saberes, que se contrapõem ao
modelo hegemônico de construção do conhecimento.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
BORSATTO, Ricardo Serra et al. UFSCAR AGROECOLÓGICA: UMA REDE PARA CONSTRUÇÃO E SOCIALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO AGROECOLÓGICO. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 13, n. 1, mar. 2018. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/22447>. Acesso em: 26 oct. 2021.
Seção
Artigos

Referências

BORSATTO, R.S. (Org). O papel da extensão rural no fortalecimento da agricultura familiar e da agroecologia: textos introdutórios. 1. ed. São Carlos: EdUFSCar, 2017.
BRASIL. Decreto nº 7.794, de 20 de agosto de 2012. Institui a Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica, 2012.
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural. Brasília: MDA, 2004.
COSTA, M.B.B. Formação superior em Agroecologia: a experiência da Universidade Federal de São Carlos. Agriculturas, v. 7, n. 4, p. 26-28, 2010.
FREIRE, P. Extensão ou comunicação? 12 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.
JACOB, L.B.; ALMEIDA JUNIOR, A.R.; AZEVEDO, M.A.R. SPAROVEK, G. A agroecologia nos cursos de engenharia agronômica: para além de desafios e dilemas curriculares. Avaliação (Campinas), Sorocaba , v. 21, n. 1, p. 173-198, mar. 2016. Disponível em . acessos em 14 ago. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-40772016000100009.
NORDER, L.A.C.; SOUZA-ESQUERDO, V.F.; BORGES, J.R.P. Perfil dos egressos (Turmas 2006-2012) do curso de mestrado acadêmico em Agroecologia e Desenvolvimento Rural da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Espacios, v. 38, n. 5, 2017. Disponível em: < http://www.revistaespacios.com/a17v38n05/17380521.html>. Acesso em: 14 ago. 2017.
SANTOS SILVA, L. M.; SOUSA, R. P.; ASSIS, W. S. A educação superior e a perspectiva agroecológica: avanços e limites dos Núcleos de Agroecologia das IES no Brasil. Redes, Santa Cruz do Sul, v. 22, n. 2, p. 250-274, abr. 2017. ISSN 1982-6745. Disponível em: . Acesso em: 08 ago. 2017.
THIOLLENT, M. A metodologia participativa e sua aplicação em projetos de extensão universitária. In: THIOLLENT, M.; ARAUJO FILHO, T.; SOARES, R. L. S. (Orgs). Metodologia e experiências em projetos de extensão. Niterói, EdUFF, 2000, p. 19-28.