PROCESSOS PARTICIPATIVOS NA CONVERSÃO PARA SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO NA ÁREA DA BACIA DE CAPTAÇÃO ARROIO FAXINAL - CAXIAS DO SUL/RS

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Valdirene Camatti Sartori Marcia Regina Pansera Luana Minello Tatiane Triaca Leandro Venturin

Resumo

O presente trabalho apresenta a sistematização do Núcleo de Estudos em Agroecologia da
Universidade de Caxias do Sul, denominado Núcleo de Inovação e Desenvolvimento em Agricultura
Sustentável, e objetivou sistematizar a experiência referente ao projeto “Ampliação da soberania
alimentar através do desenvolvimento de tecnologias alternativas para o manejo de insetos e doenças,
fortalecendo a agroecologia na Serra Gaúcha”, desenvolvido na bacia de captação Arroio Faxinal do
município de Caxias do Sul, RS. O projeto envolveu diversas ações de planejamento, diagnóstico,
implantação e acompanhamento de unidades experimentais participativas; a capacitação dos
produtores, de técnicos agrícolas, de extensionistas da Emater, da Secretaria de Agricultura, e de
estudantes por meio de palestras, cursos de Agroecologia e dias de campo, oficinas, viagens de
intercâmbio técnico para áreas de produção sob sistema de produção orgânica. A sistematização foi
especialmente sobre a experiência com as unidades experimentais participativas. A multiplicação dos
saberes e o envolvimento de mais agricultores com a agroecologia, bem como a agricultura orgânica e
meio ambiente indicam que o projeto, atingiu seus objetivos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
CAMATTI SARTORI, Valdirene et al. PROCESSOS PARTICIPATIVOS NA CONVERSÃO PARA SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO NA ÁREA DA BACIA DE CAPTAÇÃO ARROIO FAXINAL - CAXIAS DO SUL/RS. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 13, n. 1, mar. 2018. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/22297>. Acesso em: 26 oct. 2021.
Seção
Artigos

Referências

ABA/AGROECOLOGIA. Construção do conhecimento Agroecológico - CCA: aprendendo com práticas inovadoras de Educação, Pesquisa e ATER. Brasília, 2009. 14 p.
ALBUQUERQUE, U. P.; LUCENA, R. F. P.; ALENCAR, N. L. Métodos e técnicas pra coleta de dados biológicos. In: ALBUQUERQUE, U. P. ;LUCENA, R. F. P.; CUNHA. L. V. F. C. (org) Métodos e Técnicas na pesquisa Etnobilógica e Etnoecológica. Recife PE: NUPEEA, 2010.
ALMEIDA, S.D.B.; COSTA, E.; GOMES, M.A.F.; LUCHINI, L.; SPADOTTO, C. & MATALLO, M. B. Sorção de Triazinas em Solos Tropicais. I. Pré seleção para recomendação de uso na região de Ubatuba, São Paulo, Brasil. In: IV Congreso Iberoamericano de Física Y Química Ambiental, 2006, Cáceres. MEDIOAMBIENTE EN IBEROAMERICA - Visión desde la Física y la Química en los albores del siglo XXI, 2006. v. 2. p. 17-24.
BLAIR A. et al. Disease and injury among participants in the agricultural health study. J Agric Saf Health, v. 11, n. 2, p. 141–150, maio 2005.
BORMANN, F. H. & LIKENS, G. E.. Nutrient cycling. Science, v.155, p. 424-429, 1967.
BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Seminário volta a discutir mercado de agrotóxicos em 2012. 11 abr. 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2014.
BUAINAIN, A. M.; ROMEIRO, A. R. A agricultura familiar no Brasil: agricultura familiar e sistemas de produção. [Campinas]: FAO/Incra, (Projeto UTF/BRA/051/BRA), 2000. 58 p.
CAPORAL, F. R. A extensão rural e o limite à prática dos extensionistas do serviço público. 1991. 221 f. Dissertação (Mestrado em Extensão Rural)−Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 1991.
CAPORAL, F. R.; COSTABEBER, J. A. Agroecologia e desenvolvimento rural sustentável: perspectivas para uma nova Extensão Rural. Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 16-37, jan./mar. 2000.
ECKERT, C. Orientação para elaboração de sistematização de experiências. Porto Alegre: EMATER/ASCAR, 2008. 46 p.
EMBRAPA. EMRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Fundamentos de uma nova abordagem de pesquisa e extensão para facilitar o processo de tomadas de decisão do produtor rural. Disponível em: . Acesso em: 17 julho 2017.
FONSECA, M. T. L. A extensão rural no Brasil, um projeto educativo para o capital. São Paulo: Edições Loyola, 1985.
GOHN, M. G. Conselhos Gestores e Participação Sociopolítica. São Paulo: Cortez, 2001. 120p.
HOFFMANN, R. Agricultura familiar e Nutricional, Campinas, 2014, 417-421 p.
JONES, G. E. A carta de Clarendon. Cadernos CPGER, Santa Maria: APGER – UFSM, v. 1, n. 1, p. 1-10, ago. 1989.
HOLLIDAY, O. J. Sistematización de experiências y corrientes inovadoras Del pensamiento latino americano, La Pirágua, Panamá: CEAAL, n.23, 2006, 7-16p.
LANDAIS, E.; DEFFONTAINES, J. P. Les pratiques des agriculteurs, point de vue sur un courant nouveau de la recherche agronomique. In: BROSSIER, J. ; VISSAC, B. ; LE MOIGNE, J. L. (Ed.). Modelisation systèmique et systèm agraires : decision et organization. Paris : INRA, 1990. p. 31-64.
NOAL, D. S. et al. A atuação do psicólogo em situação de desastres: algumas considerações baseadas em experiências de intervenção. Revista Entre Linhas, POA: Conselho Regional de Psicologia do RS. Ano XIII, nº 62, 2013.
REN H, ENDO H, HAYASHI T. Antioxidative and antimutagenic activities and polyphenol content of pesticide-free and organically cultivated green vegetables using water-solubre chitosan as a soil modifier and leaf surface spray. J Sci Food Agric. v. 81, p. 1426-1432, 2001.
ROMAN, E.E., BECKIE, H., VARGAS, L., HALL, L., RIZZARDI, M.A. & WOLF, T.M. Como funcionam os herbicidas da biologia à aplicação. Passo. Fundo: Gráfica Editora Berthier, 2007. 160 p.
SANGALETTI, N. Estudo da vida útil do queijo Minas frescal disponível no mercado. 2007. Tese (Doutorado) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Piracicaba/SP, 2007.
SCHIMITZ, H. Agricultura familiar: extensão rural e pesquisa participativa. 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 julho 2017.
SINDAG. Sindicato Nacional das Indústrias de Defensivos Agrícolas. Dados de produção e consumo de agrotóxicos. Disponível em . Acesso em: 16 jun. 2014.
UETA, J., SHUHAMA, I.K & CERDEIRA, A.L. Biodegradação de herbicidas e biorremediação: microrganismos degradadores de atrazina provenientes de solos da Região do Aquífero Guarani. Revista Plantio Direto. v. 24, p. 25-30, 2001.
WÜNSCH, J. A. Elementos conceituais para a representação de sistemas agrícolas. Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2010.
WÜNCH, J. A. Diagnóstico e tipificação de sistemas de produção: procedimentos para ações de desenvolvimento regional. 178 f. Dissertação (Mestrado)−Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba, 1995. Disponível em: . Acesso em: 18 julho 2017.