Degradação ambiental do Rio Grande do Sul: uma análise dos municípios e mesorregiões

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Nelson Guilherme Machado Pinto Daniel Arruda Coronel

Resumo

O objetivo deste trabalho consiste em analisar o padrão de degradação dos municípios e das mesorregiões do estado do Rio Grande do Sul a partir da criação de um Índice de Degradação (ID). Neste sentido, foram pesquisadas 29 variáveis de 496 municípios gaúchos para o ano de 2006. O valor médio da degradação ambiental dos municípios gaúchos é de 62,95%. Esse valor é de alta representatividade e demonstra que mais da metade do território gaúcho enfrenta problemas relacionados à degradação ambiental. No que tange aos municípios, verifica-se que muitos deles possuem 100% com relação ao Índice de Degradação. Esses municípios e suas respectivas mesorregiões possuem ligação direta com a atividade agropecuária, confirmando a participação dessa atividade no agravamento do fenômeno. Além disso, as regiões mais degradadas do estado fazem parte das mesorregiões menos desenvolvidas, vindo a confirmar a premissa de que a degradação ambiental tem relação direta com o desenvolvimento socioeconômico.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
PINTO, Nelson Guilherme Machado; CORONEL, Daniel Arruda. Degradação ambiental do Rio Grande do Sul: uma análise dos municípios e mesorregiões. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 9, n. 1, apr. 2014. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/15275>. Acesso em: 23 oct. 2019.
Palavras-chave
Degradação Ambiental; Rio Grande do Sul; Índice de Degradação
Seção
Artigos