Atividade alelopática de extratos de Lafoensia pacari A. ST.-HIL.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Rafael Soares Pozzi Malheiros Farley Silva Santana Manoel Viana linhares Neto Ana Maria Mapeli Luciana Lucas Machado

Resumo

A pesquisa objetivou avaliar o potencial alelopático do extrato etanólico bruto de órgãos vegetativos de Lafoensia pacari, por meio de bioensaios de germinação e crescimento inicial de Lactuca sativa L. e Zea mays L., em condições de laboratório. Para tanto, o extrato etanólico bruto de folhas e do caule foram ensaiados nas concentrações: 0, 250, 500 e 1000mg/L. O extrato do caule estimulou em 12% o crescimento da radícula de plântulas de alface em baixas concentrações (250 e 500mg/L) e inibiu em 13% em alta concentração (1000mg/L); promoveu aumento no crescimento do hipocótilo de eudicotiledônea. Este extrato inibiu em 17% o crescimento da radícula de plântulas de milho. O extrato da folha estimulou em 13% o crescimento do hipocótilo de plântulas de alface, quando expostas às concentrações de 250 e 500mg/L e promoveu uma inibição de 35% da radícula de milho na maior concentração. Foi comprovado que a espécie em estudo possui um potencial alelopático.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
SOARES POZZI MALHEIROS, Rafael et al. Atividade alelopática de extratos de Lafoensia pacari A. ST.-HIL.. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 9, n. 1, apr. 2014. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/13439>. Acesso em: 23 oct. 2019.
Palavras-chave
Metabolismo secundário, pacari, Lactuca sativa, Zea mays
Seção
Artigos