Avaliação da qualidade do solo e cafeeiros em propriedade familiar do Território do Caparaó-ES

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Gabriel Pinto Guimarães Eduardo de Sá Mendonça Renato Ribeiro Passos Felipe Vaz Andrade Ramires Ventura Machado

Resumo

Este trabalho teve por objetivo avaliar, juntamente com o agricultor familiar, indicadores de qualidade do solo e de cafeeiros e relacionar os indicadores e atributos químicos do solo com a sustentabilidade agrícola. A propriedade estudada está localizada no distrito de Santa Clara, município de Iúna- ES, onde foram avaliados os seguintes tratamentos: cafeeiro sob manejo orgânico (CORG), cafeeiro sob manejo convencional (CCONV) e mata primária (MTP) que foi obtida como referencia para comparação dos dados. As amostras de solo foram coletadas na projeção da copa do cafeeiro na profundidade 0-10 cm. Os resultados apontaram solos de fertilidade mediana para ambos os sistemas de produção. O manejo orgânico acarretou aumento de 45 % no carbono orgânico total em relação ao cultivo do café com adubação química. O sistema orgânico apresentou maior sustentabilidade em relação ao convencional para os indicadores de qualidade do solo. A investigação e interpretação de parâmetros qualitativos do solo e do cafeeiro mostraram-se acessíveis e de fácil interpretação pelo produtor.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
GUIMARÃES, Gabriel Pinto et al. Avaliação da qualidade do solo e cafeeiros em propriedade familiar do Território do Caparaó-ES. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 8, n. 3, jan. 2014. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/13347>. Acesso em: 21 sep. 2019.
Palavras-chave
agricultura familiar, cafeicultura, manejo orgânico
Seção
Artigos