Transformação do nitrogênio em solos tratados com biossólidos

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Janaina Braga Carmo Marcio Rodrigues Lambais

Resumo

O uso de biossólido ou lodo de esgoto na agricultura já é uma prática bastante conhecida mundialmente, principalmente na Europa e Estados Unidos. No Brasil estudos a respeito do uso de biossólido como fonte de matéria orgânica e nutriente, são ainda escassos e limitados. Por esse motivo, o presente estudo teve como objetivo avaliar a mineralização do nitrogênio, crescimento de plantas e variação no pH e condutividade elétrica do solo após aplicação de doses crescentes de biossólidos provenientes da estação de tratamento de esgoto de Franca (ETE-Franca) e de Barueri (ETE-Barueri), em solo argiloso e arenoso. Os menores valores de pH foram obtidos com a aplicação de biossólido da ETE-Franca em solo argiloso e ficou em torno de 4,5 para a dose mais alta. Maiores concentrações de NH4+ foram obtidas com a aplicação de biossólido da ETE-Franca, chegando a 513 mg kg-1 de solo. Já, as concentrações de N-NO3- foram maiores nos solos que receberam biossólido da ETE-Barueri, e atingiram valores próximos a 800 mg kg-1 de solo, independente do tipo de solo.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
CARMO, Janaina Braga; LAMBAIS, Marcio Rodrigues. Transformação do nitrogênio em solos tratados com biossólidos. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 8, n. 3, dec. 2013. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/13266>. Acesso em: 21 sep. 2019.
Palavras-chave
Nitrogênio, biossólidos, solo, mineralização, lodo de esgoto
Seção
Artigos