Sistemas agroflorestais e mudanças na qualidade do solo em assentamento de reforma agrária.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Alexandre da Costa Junqueira Marcelo Nivert Schlindwein João Carlos Canuto Henderson Gonçalves Nobre Tatiane de Jesus Marques Souza

Resumo

Os sistemas agroflorestais (SAFs) vêm sendo uma alternativa de produção agrícola que alia a produção de alimentos com a recuperação e conservação dos recursos naturais no assentamento Sepé-Tiarajú, localizado na região canavieira de Ribeirão Preto e primeiro assentamento na modalidade Projeto de Desenvolvimento Sustentável no Estado de São Paulo. Este trabalho objetivou avaliar os efeitos dos SAFs na qualidade do solo do assentamento, através de 10 indicadores qualitativos da qualidade do solo, comparando-se os relatos de 10 agricultores sobre o momento anterior ao uso dos SAFs com o momento atual. Os resultados mostram que os SAFs contribuíram para a descompactação do solo, controle de erosão, aumento de retenção de umidade, escurecimento do solo, aumento da ocorrência de plantas indicadoras de solos de boa qualidade, melhoria no crescimento, desenvolvimento, aspecto e produção dos cultivos, aumento da ocorrência de minhocas, insetos e outros organismos no solo e diminuição do ataque de pragas e doenças.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
JUNQUEIRA, Alexandre da Costa et al. Sistemas agroflorestais e mudanças na qualidade do solo em assentamento de reforma agrária.. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 8, n. 1, apr. 2013. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/12808>. Acesso em: 21 oct. 2019.
Palavras-chave
Agroecologia, Sustentabilidade, Sistemas Agroflorestais, Indicadores Qualitativos, Qualidade do Solo
Seção
Artigos