Sequência Didática como Instrumento na Construção do Conhecimento Agroecológico em uma Escola Agrícola

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

ALAN FREDERICO BRIZUEÑA GIMENES Marcus Vinicius Campelo Junior Icléia Albuquerque de Vargas

Resumo

O ser humano tem interferido no meio ambiente causando problemas ambientais, sociais e econômicos. Sabe-se que a busca do desenvolvimento em consonância com a questão ambiental é uma alternativa que pode amenizar as ações antrópicas negativas ao ambiente. Algumas profissões por suas competências e atribuições necessitam urgentemente mudar suas posturas frente à questão ambiental, como é o caso do técnico agrícola. Assim, a partir dessas reflexões, a inserção da Educação Ambiental em consonância com a Agroecologia permeada pelos pressupostos teórico-metodológicos de Paulo Freire no contexto da formação desses profissionais, tornou-se uma opção em direção às mudanças almejadas. Com isso, foi realizado este estudo que buscou conhecer a realidade da formação desses profissionais, bem como, propor durante esse processo, atividades inseridas em uma sequência didática que favorecem a aprendizagem de alguns conceitos envolvidos no processo de sucessão ecológica. Também contribui para a integração da grade curricular com a prática da Educação Ambiental e da Agroecologia, por meio da análise dos sistemas produtivos de horta convencional e de horta no modelo PAIS (Produção Agroecológica Integrada Sustentável). A investigação foi realizada com 26 alunos do ensino médio Técnico em Agropecuária na Escola Municipal Agrícola Governador Arnaldo Estevão de Figueiredo, Campo Grande/MS. Pela análise dos resultados desta pesquisa é possível inferir que a proposta de sequência didática desenvolvida contribuiu para o processo de ensino e aprendizagem dos principais conceitos envolvidos no processo de sucessão ecológica, integrando-os à Educação Ambiental e à Agroecologia, contemplando as dimensões ambientais, sociais e econômicas, contribuindo para a construção do conhecimento agroecológico.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
GIMENES, ALAN FREDERICO BRIZUEÑA; CAMPELO JUNIOR, Marcus Vinicius; VARGAS, Icléia Albuquerque de. Sequência Didática como Instrumento na Construção do Conhecimento Agroecológico em uma Escola Agrícola. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, dec. 2016. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21874>. Acesso em: 05 dec. 2020.
Palavras-chave
EDUCAÇÃO AMBIENTAL, ENSINO TÉCNICO AGRÍCOLA, HORTA ESCOLAR, AGRICULTURA ORGÂNICA
Seção
Agroecol 2016 - Construção de Conhecimentos Agroecológicos

Referências

ALTIERI, M. Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2004.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. MDA/Incra. Sistema Nacional de Cadastro Rural. Brasília, 2009.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 55ª Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

LEFF, E. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. Tradução de Lúcia Mathilde Endlich Orth. Petrópolis: Vozes, 2001.

LEFF, E. Discursos sustentáveis. Tradução Silvana Cobucci Leite. São Paulo: Cortez, 2010.

MICHEREFF FILHO, M.; GUIMARÃES, J. A.; LIZ, R. S. de. Recomendações para o controle de pragas em hortas urbanas. Brasília: Embrapa Hortaliças, 2009. 11p. (Embrapa Hortaliças. Circular Técnica, 80).

CARVALHO, L. M. de.; NUNES, M. U. C.; MICHEREFF FILHO, M. Efeito da consorciação do tomateiro com plantas aromáticas na produtividade. Aracaju: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2009. 12p. (Embrapa Tabuleiros Costeiros. Comunicado Técnico, 99).

MORIN, E. et al. Educar na era planetária: o pensamento complexo como método de aprendizagem pelo erro e incerteza humana. Trad. Sandra Trabucco Valenzuela. São Paulo: Cortez, 2003.

PIGNATI, W. Não existe uso seguro de Agrotóxicos. Revista do Instituto Humanitas Unisinos – IHU, n. 368, ano XI. p. 5-7, 2011.

PIRES, A. M. Educação do campo como direito humano. São Paulo: Cortez, 2012.

VEIGA, M. M.; et al. A contaminação por agrotóxicos e o s Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Rev. bras. Saúde. Ocup. São Paulo, 32 (116):57-68, 2007.