A percepção das famílias quanto à participação dos jovens no Projeto Agroecológico e Cidadão da Juventude dos Assentamentos na Amazônia

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Thais Magalhães Silva Heidiane Nascimento Feitosa Clodoaldo de Oliveira Freitas Eliane Silva Leite

Resumo

Os jovens estão presentes no trabalho familiar agrícola participando do processo produtivo e cultural desde muito cedo. Todavia, com as diversas mudanças e dificuldades apresentadas na atividade, muitos jovens acabam partindo para cidade em busca de melhorias. O projeto Agroecológico e Cidadão da Juventude nos Assentamentos na Amazônia (UNIR/CNPq/MDA – INCRA), desenvolvido nos assentamentos dos municípios de Presidente Médici e Novo Brasilândia D’Oeste, em parceria com a Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Rondônia – FETAGRO, objetiva promover capacitação agroecológica e cidadã para fortalecer a inclusão social e produtiva de jovens e fortalecer a agricultura familiar nos assentamentos garantindo conquista de autonomia e valorização do espaço rural e familiar. Para a pesquisa foi utilizada a metodologia fundamentada na pesquisa-ação participativa empregando aplicação de entrevista semiestruturada aos pais, responsáveis e cônjuges dos jovens participantes do projeto. Sabendo da importância do apoio e incentivo dos familiares para a permanência dos jovens no campo, objetivou-se avaliar a percepção dos pais, responsáveis e cônjuges quanto à participação dos jovens agricultores no projeto Agroecológico e cidadão da juventude dos assentamentos da Amazônia, bem como, destacar as mudanças notadas no convívio familiar, comunitário e no fortalecimento da permanência da juventude no campo. Notou-se que os pais e cônjuges têm opinião positiva sobre a participação dos jovens no projeto e que o mesmo tem gerado muitas melhorias para suas vidas e consequentemente para toda a família. Tem gerado melhorias de renda e garantido a continuidade da atividade produtiva e o fortalecimento da permanência da juventude no campo.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
SILVA, Thais Magalhães et al. A percepção das famílias quanto à participação dos jovens no Projeto Agroecológico e Cidadão da Juventude dos Assentamentos na Amazônia. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, dec. 2016. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21814>. Acesso em: 05 dec. 2020.
Palavras-chave
Agricultura Familiar; Agroecologia; Entrevista; Pais;
Seção
Agroecol 2016 - Construção de Conhecimentos Agroecológicos

Referências

AMAZONAS, M. C. L. A.; DAMASCENO, P. R.; TERTO, L. M. S.; SILVA, R. R. (2003). Arranjos familiares de crianças de camadas populares. Psicologia em Estudo, 8 (especial), 11-20.

CARNEIRO, M. J. Política Pública e Agricultura Familiar: uma leitura do Pronaf. In: Revista Estudos Sociedade e Agricultura, nº. 8, abril 1997.

_______________. O Ideal Rurbano: campo e cidade no imaginário de jovens rurais. In: SILVA, F.C.T.; SANTOS, R.; Costa, L.F.C. (Org.). Mundo Rural e Política: ensaios interdisciplinares. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

JÚNIOR, H. P. C. Estudo da participação e permanência dos Jovens na agricultura familiar na localidade do ancorado em Rosário da Limeira – MG. Dissertação (Mestrado em Meio Ambiente e Sustentabilidade). Centro Universitário de Caratinga. Caratinga: UNEC, 2007.

KREPPNER, K. (2000). The child and the family: Interdependence in developmental pathways. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 16(1), 11-22.

LAMARCHE, H. (Coord.). A agricultura familiar: comparação internacional. Tradução Ângela Maria Naoko Tijiwa. Campinas: Unicamp, 1993.

SILVESTRO, M. et al. Os impasses sociais da sucessão hereditária na agricultura familiar. Florianópolis: Epagri; Brasília, DF: Nead/MDA, 2001.