Grandes Eventos Técnico-Científicos de Agroecologia em Mato Grosso do Sul: Concepções, Realizações e Possíveis Impactos

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Milton Parron Padovan Alberto Feiden Olácio Mamoru Komori Ivo de Sá Motta Zefa Valdivina Pereira

Resumo

No ano de 2001 o Fórum de Agroecologia de Mato Grosso do Sul deliberou sobre a necessidade de se realizar grandes eventos no estado, sob a forma de seminários. Assim, em 2002 foi realizado o 1º Seminário de Agroecologia de MS, em Campo Grande, com expressiva participação de entidades que possuem interesse nesse tema. Dourados sediou, em 2008, o 2º Seminário de Agroecologia de MS, ao qual agregou-se o 1º Encontro de Produtores Agroecológicos de MS. A partir de 2008, passou-se a realizar o seminário bianualmente. Em 2010, foi realizado em Corumbá, o 3º Seminário de Agroecologia de MS e o 2º Encontro de Produtores Agroecológicos de MS, já com participantes de outros países. Em 2012 foram realizados o 4º Seminário de Agroecologia de MS e o 3º Encontro de Produtores Agroecológicos de MS, em Glória de Dourados. Na ocasião, registrou-se a presença de participantes de 13 estados brasileiros. Para a edição seguinte, em 2014, optou-se por oficializar a expansão de abrangência e de temas. Dessa forma, aos demais eventos já realizados, agregaram-se o 1º Seminário de Agroecologia da América do Sul e o 1º Seminário de Sistemas Agroflorestais em Bases Agroecológicas de MS. Para abarcar esses 4 eventos simultâneos, criou-se a marca Agroecol, sendo a edição de 2014 realizada em Dourados. Registraram-se 1200 participantes oriundos de 25 estados brasileiros, de 5 países da América do Sul e de 1 país da América Central. O escopo do Agroecol 2016 foi ampliado com mais uma temática, agregando-se aos demais eventos, a 1ª Jornada Internacional de Educação do Campo. A grande diversidade de atividades desenvolvidas nesses eventos contribuiu para despertar, sensibilizar e formar milhares de pessoas em agroecologia. Somaram, por meio de suas diferentes formas de atuação, para a obtenção de expressivos avanços da Agroecologia, principalmente no Estado de Mato Grosso do Sul. No entanto, houve contribuições a outras regiões do Brasil e de outros países sul-americanos, além de proporcionarem grande visibilidade e respeitabilidade às instituições e entidades realizadoras.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
PADOVAN, Milton Parron et al. Grandes Eventos Técnico-Científicos de Agroecologia em Mato Grosso do Sul: Concepções, Realizações e Possíveis Impactos. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, dec. 2016. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21685>. Acesso em: 04 dec. 2020.
Seção
Agroecol 2016 - Construção de Conhecimentos Agroecológicos

Referências

MATTOS, L. (Coord.). Marco referencial em agroecologia. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2006. 70 p.

PETERSEN, P. Pesquisa participativa: um conceito em evolução. In: CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL EM REGIÕES MONTANHOSAS TROPICAIS E SUBTROPICAIS, COM ESPECIAL REFERÊNCIA PARA A AMÉRICA LATINA,1998, Rio de Janeiro. [Anais...]. Rio de Janeiro: AS-PTA, 1998. 7 p.