Percepção Ambiental de Residentes e Trabalhadores do Entorno do Parque Arnulpho Fioravante: Uma Proposta para o Ensino de Ciências

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Mariza Cunha Lima

Resumo

A exploração desordenada dos recursos ambientais vem ocorrendo desde colonização do Brasil, ao longo do tempo, tem se elevado com o crescimento populacional e de produtos industrializados, queima de combustíveis fósseis, sem uma política firme de conscientização da população para o uso e reaproveitamento dos recursos naturais disponíveis. Este trabalho sobre a percepção ambiental dos moradores e trabalhadores do entorno do parque Arnulpho Fioravante reuni um banco de dados a partir de jornais, revistas e sites locais sobre o parque desde a década de 1970 aos dias atuais. Foram realizadas visitas técnicas ao parque para reconhecimento da área e análise in loco das condições denunciadas. Foi elaborado um questionário e aplicado à população local abordando algumas das condições verificadas a partir das notícias encontradas. Os resultados indicam que mais de 90% dos entrevistados manifestam desejo de utilizarem o espaço do parque como área de lazer, entendendo a área como parte integrada do meio urbano. Acredita-se que tais informações possam ser compreendidas de maneira propositiva para o professor do ensino fundamental e médio, em sua prática pedagógica, incluindo aspectos da cidade no contexto dos conteúdos escolares.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
LIMA, Mariza Cunha. Percepção Ambiental de Residentes e Trabalhadores do Entorno do Parque Arnulpho Fioravante: Uma Proposta para o Ensino de Ciências. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, jan. 2017. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21610>. Acesso em: 02 dec. 2020.
Palavras-chave
Percepção Ambiental, Parques Urbanos, Preservação Ambiental.
Seção
Agroecol 2016 - Sociedade e Natureza

Referências

ARRUDA, R. 1999. "Populações tradicionais" e a proteção dos recursos naturais em Unidades de Conservação. Ambiente & Sociedade, v. 5, n. 2, 1999.

BERGMAN, M. Analise da percepção ambiental da população ribeirinha do Rio Santo Cristo e de estudantes e professores de duas escolas públicas, município de Giruá, RS. 2007. Dissertação (Mestrado em Ecologia)- Instituto de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2007. Disponível em: < http://hdl.handle.net/10183/10950 >. Acessado em 12 jan.2009.

BIERREGAARD, R.O.JR., LOVEJOY, T.E., KAPOS, V., SANTOS, A.A. & HUTCHINGS, R.W. 1992. The biological dynamics of tropical rainforest fragments. BioScience 42:859-866.

BRANQUINHO, F. T. B. O poder das ervas na sabedoria popular e no saber científico. Rio de Janeiro. Mauad X. 2007.

BRASIL. MEC. SEF. Parâmetros Curriculares para o Ensino Fundamental e Médio. Brasília, 1998.

FEIBER S.D. 2004. Áreas verdes urbanas imagem e uso - o caso do passeio público de Curitiba-PR. R. RAE GA, Curitiba: Ed. UFPR, 8: 93-105.

GUERRA A.J.T., CUNHA S.B. (org.). 2001. Impactos Ambientais Urbanos no Brasil. São Paulo, Bertrand Brasil.

MARCONI, M. D. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisas, elaboração, análise e interpretação de dados. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1996.

MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing: edição compacta. São Paulo: Atlas, 1996.

OLIVEIRA, L.; MACHADO, L. M. C. P. Percepção, cognição, dimensão ambiental e desenvolvimento com sustentabilidade. In: VITTE, Antonio Carlos; GUERRA, Antonio José Teixeira (Orgs.). Reflexões sobre a geografia física do Brasil. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004, p. 129-152.

Site:http://www.grandefm.com.br/politica/prefeitura-apresenta-projeto-do-parque-do-corrego-paragem-a-estudantes, 06/06/2011.