Biocontrole de Phytophthora sp. por isolados de Trichoderma spp. in vitro

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Dilânia Lopes Matos http://orcid.org/0000-0002-4993-9241 Crislei Ferreira Alves Adriano Ricardo Felito Grace Queiroz David Walmor Moya Peres

Resumo

O uso do controle biológico se caracteriza como uma estratégia promissora no manejo de doenças de plantas. Entre os principais agentes utilizados no biocontrole estão espécies do gênero Trichoderma. Nesse contexto, o objetivo desse trabalho foi avaliar o efeito antagônico de isolados de Trichoderma spp. sobre o crescimento micelial do fungo Phytophthora sp. O estudo foi realizado no Laboratório de Microbiologia e Fitopatologia da Universidade do Estado de Mato Grosso, em delineamento inteiramente casualizado com 5 tratamentos e 10 repetições. Os isolados de Trichoderma spp. foram avaliados quanto ao potencial antagônico contra Phytophthora sp. por meio do pareamento de culturas e atribuição de notas por meio da aplicação de duas escalas. As variáveis analisadas foram crescimento médio micelial (CMM), índice de velocidade de crescimento micelial (IVCM), percentual de inibição de crescimento (PIC) e médias de notas atribuídas ao cultivo pareado de isolados de Trichoderma spp. contra Phytophthora sp. seguindo as escalas de Bell e Rodrigues. As médias obtidas foram submetidas a análise de variância, seguido de teste de comparação de médias. Foi verificado efeito significativo sobre o fitopatógeno por isolados de Trichoderma spp. para todas as variáveis testadas que diferiram significativamente em relação à testemunha. Houve redução do crescimento micelial e índice de velocidade de crescimento de Phytophthora sp., os percentuais de inibição de crescimento se mantiveram acima de 70% e as notas atribuídas indicaram atividade antagônica eficiente. Assim, os resultados demonstraram que houve efeito promissor dos isolados de Trichoderma spp. sobre o desenvolvimento micelial de Phytophthora sp. in vitro.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
MATOS, Dilânia Lopes et al. Biocontrole de Phytophthora sp. por isolados de Trichoderma spp. in vitro. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, dec. 2016. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21603>. Acesso em: 02 dec. 2020.
Palavras-chave
controle biológico; antagonismo; crescimento micelial
Seção
Agroecol 2016 - Outros Temas

Referências

ABBOTT, W.S. A method of computing the effectiveness of na insecticide. Journal of Economic Entomiology, v. 18, p.265-267, 1925.

BELL, D.K.; WELLS, H.D.; MARKHAM, C.R. In vitro antagonism of Trichoderma species against six fungal plant pathogens. Phytopathology, v.72, n.4, p.379-382, 1982.

BOMFIM, M.P.; SÃO JOSÉ, A.R.; REBOUÇAS, T.N.H.; ALMEIDA, S.S.; SOUZA, I. V. B.; DIAS, N. O. Avaliação antagônica in vitro e in vivo de Trichoderma spp. a Rhizopus stolonifer em maracujazeiro amarelo. Summa Phytopathologica, v. 36, n. 1, p. 61-67, 2010.

BONETT, L.P.; HURMANN, E.M.S.; POZZA JÚNIOR, M.C.; ROSA, T.B.; SOARES, J.L. Biocontrole in vitro de Colletotrichum musae por Isolados de Trichoderma spp. Uniciências, v. 17, n. 1, p. 5-10, 2013.

CARVALHO FILHO, M. R.; MENEZES, J. E.; MELLO, S. C. M.; SANTOS, R. P. Avaliação de isolados de Trichoderma no controle de mancha foliar do eucalipto in vitro e quanto a esporulação em dois substratos sólidos. Brasília, DF: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 2008. 21p.

DENNIS, C.; WEBSTER, J. Antagonistic properties of species groups of Trichoderma. I - Production of non-volatile antibiotics. Trans. Brist. Mycol. Soc., v.57, p.25-39, 1971a.

FERREIRA D.F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 35, n. 1, p. 1039-1042, 2011.

FORTES, F.O.; SILVA, A.C.F.; ALMANÇA, M.A.K.; TEDESCO, S.B. Promoção de enraizamento de microestacas de um clone de Eucalyptus sp. por Trichoderma spp. Revista Árvore, v. 31, n. 2, p. 221-228, 2007.

HANADA, R. E.; POMELLA, A. W. V.; SOBERANIS, W.; LOGUERCIO, L. L.; PEREIRA, J. O. Biocontrol potencial of Trichoderma martiale against the black-pod disease (Phytophthora palmivora) of cacao. Biological Control, v. 50, p. 143-149, 2009.

LOUZADA, G.A.S., CARVALHO, D.D.C., MELLO, S.C.M., LOBO JÚNIOR, M., MARTINS, I.; BRAÚNA, L.M. Antagonist potential of Trichoderma spp. from distinct agricultural ecosystems against Sclerotinia sclerotiorum and Fusarium solani. Biota Neotrop, v. 9, n. 3, p. 145-149, 2009.

LUCON, C. M. M.; KOIKEI, C. M.; ISHIKAWAI, A. I.; PATRÍCIO, F. R. A.; HARAKAVAI, R. Bioprospecção de isolados de Trichoderma spp. para o controle de Rhizoctonia solani na produção de mudas de pepino. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 44, p. 225-232, 2009. 7

MARCHETTI, R., NIPOTI, P., D'ERCOLE, N. & GUERZONI, M.E. Competition at atmosphere level as biocontrol mechanism in Trichoderma spp. Petria, 2: 137-47, 1992.

MELO, I. S. Agentes microbianos de controle de fungos fitopatogênicos. In: MELO, I. S. de; AZEVEDO, J. L. de. Controle Biológico. Jaguariúna: EMBRAPA, 1998. p. 17-67.

MORAES, G. M.; CARVALHO 1 L. R. Antagonismo in vitro de Trichoderma sp. contra Sclerotinia Sclerotiorum. Revista Faculdade Montes Belos (FMB), v. 8, n° 5, 2015, p (99-139), 2014.

MORANDI, M. A.B.; BETTIOL, W.; GHINI, R. Situação do controle biológico de doenças de plantas no Brasil. In: Venzon, M.; Paula Jr. T. J.; Pallini, A. Controle alternativo de Pragas e Doenças. Viçosa. Epamig/CTZM: UFV. 2005. pp. 247-268.

OLIVEIRA, J. A. Efeito do tratamento fungicida em sementes no controle de tombamento de plântulas de pepino (Cucumis sativas L.) e pimentão (Capsicum annanum L.). 1991. 111 f. Dissertação (Mestrado em Fitossanidade) – Escola Superior de Agricultura de Lavras, Lavras, 1999.

RODRIGUES, J. Trichoderma spp. associado a níveis de adubação NPK no patossistema Sclerotinia sclerotiorum. 2010. 84 f. Dissertação de Mestrado (Programa de Pós-Graduação em Agronomia). Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2010.

SILVA, J. B. T.; MELLO, S. C. M. Utilização de Trichoderma no controle de fungos fitopatogênicos: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia. Brasília, DF: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 2007. 17 p.

SILVA, K. S.; REBOUÇAS, T. N. H.; BOMFIM, M. P.; SILVA, D. S.; SÃO JOSÉ, A. R.; BENETT, C. G. S. Atividade antagônica in vitro de isolados de Trichoderma spp. ao fungo Phytophthora citrophthora. Semina: Ciências Agrárias, Londrina – PR, v. 29, n. 4, p.749-754, 2008.

VEY, A,; HOAGLAND, R.E.; BUTT, T.M. Toxic metabolites of fungal biocontrol agents. In: BUTT, T.M.; JACKSON, C.N. Fungi as biocontrol agents: progress, problems and potential. Bristol: CAB International, 2001, p.311-46.

VEY, A.; HOAGLAND, R.E.; BUTT, T.M. Toxic metabolites of fungal biocontrol agents. In: BUTT, T.M.; JACKSON, C.N. Fungi as biocontrol agents: progress, problems and potential. Bristol: CAB International, 2001. p.311-46.

WEINDLING, R. Studies on lethal principles effective in the parasitic action of Trichoderma lignorum on Rhizoctonia solani and other soil fungi. Phytop., v.24, n.1, p.1153-1179, 1934.