Recuperação de Área de Preservação Permanente, Reserva Legal e Pastagem Degradada para a Produção Orgânica de Plantas Medicinais - coletivo de mulheres agroecológicas de Itapeva, SP.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Patricia Apolinário Rafael Virginio Santos Paulo Rogério Lopes

Resumo

O pastejo extensivo com a taxa de lotação de animais acima da capacidade suporte da pastagem diminui a produtividade das forrageiras, impacta a qualidade do solo, dos córregos e rios por assoreamento em consequência o aumento de áreas degradadas além de sérios impactos socioeconômicos. O presente trabalho teve como objetivo recuperar 11 hectares de pastagens degradadas, para a produção orgânica de plantas medicinais por um coletivo de mulheres no Assentamento Pirituba II em Itapeva, SP. Após a realização de um diagnóstico ambiental, manejou-se a fertilidade do solo, construiu terraços, instalou-se quebra ventos e plantio de adubos verdes, recomposição da Mata ciliar e capacitação das agricultoras em agricultura orgânica. Atualmente são cultivadas 126 espécies coletivamente entre medicinais, frutas, verduras e legumes certificados orgânicos pelo Sistema Participativo de Garantia (SPG) na área que foi recuperada para essas atividades, gerando emprego e renda para as agricultoras assentadas.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
APOLINÁRIO, Patricia; SANTOS, Rafael Virginio; LOPES, Paulo Rogério. Recuperação de Área de Preservação Permanente, Reserva Legal e Pastagem Degradada para a Produção Orgânica de Plantas Medicinais - coletivo de mulheres agroecológicas de Itapeva, SP.. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, dec. 2016. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21533>. Acesso em: 04 dec. 2020.
Palavras-chave
Recuperação ambiental; organização social de gênero; agroecologia.
Seção
Agroecol 2016 - Manejo de Agroecossistemas Sustentáveis

Referências

AMORIM, L.; REZENDE, J. A. M.; BERGAMIN FILHO, A.; Manual de Fitopatologia: Princípios e Conceitos. 4. ed. Volume 1 Piracicaba, SP: Ceres, 2011. 704p.
BERTONI, J.; LOMBARDI NETO, F. Conservação do solo. Livroceres. Piracicaba, SP. 2012.
BRASIL (PAÍS), MINISTÉRIO DA AGRICULTURA PECUÁRIA E ABASTECIMENTO,.; PROJETO DE INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº , DE DEDE 2013. (ANEXO À PORTARIA No 990, DE 11 DE OUTUBRO DE 2013) O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/arq_editor/Proj_%20IN%20%20Regulamento%20da%20Prod_%20Org_%20-%20anexo%20Portaria%20990%20de%202013.pdf. Acesso em: 22 de Jul. de 2015.
CASTANHO FILHO E. P.; CHABARIBERI, D.; Perfil energético da Agricultura Paulista. Instituto de Economia Agrícola. São Paulo. 1982. 55 p.
COSTA, M. B. B.; Análise da sustentabilidade da agricultura na região metropolitana de Curitiba sob a ótica da agroecologia. Tese (Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento). UFPR, Curitiba Paraná, 2004. 262p.
EMPRESA BRASILEIRA D PESQUISA AGROPECUÁRIA – EMBRAPA – Recuperação de pastagens degradas. Disponível em: http://agrosustentavel.com.br/downloads/recuperacao_de_pastagens_degradadas.pdf. Acesso em: 05 de Set. de 2015.
FEIDEN, A.; Conceitos e princípios para o manejo ecológico do solo. Seropédica: Embrapa Agrobiologia, Dez. 2001. 21 págs. (Embrapa Agrobiologia, Documentos, 140). Rio de Janeiro – RJ.
FERREIRA, R. R. M.; FILHO, J. T.; FERREIRA, V. T.;Efeitos de sistemas de manejo de pastagens nas propriedades físicas do solo. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 31, n. 4, p. 913-932, out./dez. 2010.
GLIESSMAN, S. R.; - Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto alegre: Ed. da UFRGS, 2000.
INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - IPT. Mapa de erosão do Estado de São Paulo, escala 1:500.000. Convênio IPT/DAEE. São Paulo, SP. 1995.
KIMARI et al.,; 2005. Manual de Fitopatologia, Ceres 2005. São Paulo. 653p.
KICHEL, A. N.; MIRANDA, C. H. B.;ZIMMER, A. H. Z.; Degradação de pastagens e produção de bovinos de corte com a integração agricltura x pecuária. In: I Simpósio de Produção de Gado de Corte (ANAIS). Viçosa, 1999, p. 232-234. Disponível em: http://www.simcorte.com/site/anais.html. Acesso em: 05 de Set. de 2015.
LEPSCH, I.F. Manual para levantamento utilitário do meio físico e classificação das terras no sistema de capacidade de uso. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo-SBCS. Campinas, SP. 1991.
LOMBARDI NETO, F.; BELINAZZI JUNIOR, R.; LEPSCH, I. F.; OLIVEIRA, J.B.; BERTOLINI, D.; GALETI, P.A.; DRUGOWICH, M.I. Terraceamento Agrícola. Campinas. Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo - Coordenadoria de Assistência Técnica Integral, 1994. 39p. (Boletim Técnico CATI - 206).
LOMBARDI NETO, F.; DRUGOWICH, M.I. Manual técnico de manejo e conservação de solo e água. Centro de Comunicação Rural – CECOR. CATI/SAA. Campinas, SP. 1994.
LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação de plantas arbóreas nativas do Brasil. Editora Plantarum, 1992, 352p.
LOPES, P. R.; Caracterização da incidência e evolução de pragas e doenças em agroecossistemas cafeeiros sob diferentes manejos. Dissertação de Mestrado (Agroecologia e Desenvolvimento Rural) Centro de Ciências Agrárias, UFSCar, Araras, SP. 2009. 236f.
MARTINS, S. B.; Recuperação de Matas Ciliares. 2ª ed. Ver. E ampl. Viçosa, MG. CPT, 2007. 255p.
MORELLI-AMARAL, V. F.; APOLINÁRIO, P.; SANTOS, R. V.; REZENDE, R. E. C.; Estratégias de produção agroecológica de plantas medicinais: uma experiência integrada da cooperativa COOPLANTAS em Itapeva/SP. IX Congresso Brasileiro de Agroecologia. Cadernos de Agroecologia - Vol 10, No. 3, OUT 2015.
PIMENTEL, D.; [et al].; Produção de alimentos e Crise energética.Trad. Tania M. C. Bianchini e Rev. Oswaldo C. Rockenback e Paulo S. Tagliari. Florianópolis: EMPASC, 1982. 24p. (EMPASC - Documentos, 14).
PRIMAVESI, O.; PRIMAVESI, A. C.; Fundamentos ecológicos para o manejo efetivo do ambiente rural nos trópicos: Educação ambiental produtividade com qualidade. -- São Carlos: Embrapa Pecuária Sudeste, 2003. 84p.
SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE GABINETE DO SECRETÁRIO. PUBLICADA NO DOE DE 05-04-2014 SEÇÃO I PÁG 36-37. Resolução SMA Nº 32 DE 03/04/2014. Estabelece as orientações, diretrizes e critérios sobre restauração ecológica no Estado de São Paulo, e dá providências correlatas. Disponível: em: http://www.ambiente.sp.gov.br/legislacao/files/2014/04/Resolu%C3%A7%C3%A3oSMA-032-2014-a.pdf. Acesso em: 33 de jul. 2015.
SERRA FILHO, R. et al. 1974. Levantamento da cobertura vegetal natural do Estado de São Paulo. Instituto Florestal. P. 1-53. (Boletim Técnico, 11).
Soares Filho, C. V.; Monteiro, F. A.; Corsi, M.; Recuperação de pastagens degradadas de Brachiaria decumbens. 1. Efeito de diferentes tratamentos de fertilização e manejo. PasturasTropicales, 1992.