Estudo Epidemiológico de Casos de Câncer no Estado de Mato Grosso do Sul - MS

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Fernanda Adriéli Trenkel Sebastião Gabriel Chaves Maia

Resumo

O câncer passou a ser considerado um caso de saúde pública, tanto em países desenvolvidos como em países em desenvolvimento. No Brasil é considerado a terceira maior causa de morte. O câncer é a doença que mais cresce mundialmente, elevando seu número de óbitos. Vários fatores influenciam neste processo carcinogênico, como, por exemplo, os hábitos alimentares. Tem por objetivo determinar os dados epidemiológicos de câncer no estado de Mato Grosso do Sul-MS e analisar as variáveis relacionadas ao gênero e localização primária das neoplasias nos períodos de 2003 à 2014. As presentes informações fazem parte de um estudo que se caracteriza como de cunho epidemiológico quantitativo, descritivo, transversal e retrospectivo. No estado de Mato Grosso do Sul o índice de caso de câncer aumentaram nos últimos anos, porém durante os anos de 2003 à 2014 há quedas nos número, estas variações podem ser reflexo das campanhas de prevenções. Sendo as neoplasias mais presentes no gênero feminino o câncer de mama e no gênero masculino o de câncer de próstata.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
TRENKEL, Fernanda Adriéli; CHAVES MAIA, Sebastião Gabriel. Estudo Epidemiológico de Casos de Câncer no Estado de Mato Grosso do Sul - MS. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, dec. 2016. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21399>. Acesso em: 01 dec. 2020.
Palavras-chave
neoplasia, incidência, saúde pública
Seção
Agroecol 2016 - Sociedade e Natureza

Referências

ALMEIDA, V. L. DE; LEITÃO, A.; REINA, L. D. C. B.; MONTANARI, C. A.; DONNICI, C. L. Câncer e agentes antineoplásicos ciclo-celular específicos e ciclo-celular não específicos que interagem com o DNA: uma introdução. Química Nova, v. 28, n. 1, p. 118-129, 2005. Disponível em: Acesso em: 11 set. 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer – INCA. Estimativas da incidência e mortalidade por câncer, Rio de Janeiro: INCA, 2003. Disponível em: Acesso em: 11 out. 2015.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Estimativa 2005: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA, 2004. Disponível em: Acesso em: 11 out. 2015.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Coordenação de Prevenção e Vigilância de Câncer. Estimativas 2008: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA, 2007. Disponível em: Acesso em: 11 out. 2015.

______. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Estimativa 2010: incidência de câncer no Brasil / Instituto Nacional de Câncer. Rio de Janeiro: INCA, 2009. Disponível em: Acesso em: 11 out. 2015.

GUERRA, M. R.; GALLO, C. V. DE M.; MENDONÇA, G. A. E S. Risco de câncer no Brasil: tendências e estudos epidemiológicos mais recentes. Revista Brasileira de Cancerologia, v. 51, n. 3, p. 227-234, 2005. Disponível em: Acesso em: 11 out. 2015.

ILIAS, E. J. Hábitos alimentares e câncer digestivo. Revista da Associação Medica Brasileira, v. 52, n. 5, set-out, 2006. Disponível em: Acesso em: 10 out. 2015.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA. Coordenação Geral de Ações Estratégicas. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Estimativa 2012: incidência de câncer no Brasil / Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, Coordenação Geral de Ações Estratégicas, Coordenação de Prevenção e Vigilância. Rio de Janeiro: Inca, 2011. Disponível em: Acesso em: 11 out. 2015.

______. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Estimativa 2014: incidência de câncer no Brasil / Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, Coordenação de Prevenção e Vigilância. Rio de Janeiro: INCA, 2014. Disponível em: Acesso em: 11 out. 2015.

MERGEN, C. T. T.; STRASSBURGER, S. Z. Prevalência dos tipos de câncer em pacientes atendidos em um centro de alta complexidade em oncologia. Revista Contexto & Saúde Ijuí, Editora Unijuí, v. 9, n. 17, p. 31-38, jul-dez, 2009. Disponível em: Disponível em: Acesso em: 10 out. 2015.

NOTÍCIAS, MS. Ministério da Saúde informa que rede oncológica de Mato Grosso do Sul será ampliada. Amambaí notícias, 2015. Disponível em: Acesso em: 05 nov. 2015.

SANTOS, S. S. DA. Exposição a substâncias químicas e câncer: aspectos epidemiológicos, genéticos e moleculares. Caderno da Saúde, Rio de Janeiro, 2008. Disponível em: . Acesso em: 08 mar. 2015.

UOL. Prevalência do câncer varia de acordo com a região do país, mostra Inca. Uol Notícias Ciências e Saúde, 2014. Disponível em: Acesso em: 05 nov. 2015.