Agroecologia como ferramenta de ensino para a sustentabilidade

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Aline do Nascimento Rocha Sara da Silva Bastos Ana Paula Rissato Souza Pamela de Souza Ferreira

Resumo

As discussões sobre desenvolvimento sustentável nunca estiveram tão frequentes como atualmente, cabe-se de uma preocupação com a situação encontrada hoje sobre o ambiente natural proveniente de uma exploração extrativista, causando danos profundos na natureza e na comunidade local. Sabemos que o futuro de nosso planeta está nas crianças de hoje, e vemos uma oportunidade de desenvolver conceitos importantes de sustentabilidade em nossas escolas, pois são ambientes de aprendizado coletivo. Neste trabalho objetivou construir uma aprendizagem significativa sobre agroecologia por meio da educação ambiental em alunos de diferentes faixas etárias por meio de práticas, visitas e palestras. As atividades desenvolveram-se nas cidades de Dourados e Glória de Dourados - MS, contando com a parceria da Associação de Produtores Orgânicos de Mato Grosso do Sul -APOMS e a Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD. Foi observado o despertar de interesse dos estudantes com as atividades e o tema; por meio de questionários foi possível detectar melhor assimilação do tema trabalhado e reconstrução de conceitos sobre agroecologia e produtos orgânicos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ROCHA, Aline do Nascimento et al. Agroecologia como ferramenta de ensino para a sustentabilidade. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, dec. 2016. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21326>. Acesso em: 05 dec. 2020.
Palavras-chave
Aprendizado, Educação Ambiental, Oficinas e Visitas.
Seção
Agroecol 2016 - Construção de Conhecimentos Agroecológicos

Referências

ARAÚJO, L. M. M. A.; BARCELOS, V. H. L. Educação Ambiental e Formação de Professores (as): entre trajetórias, saberes e fazeres. In: IV Congresso Internacional de Educação. Anais. Agosto-setembro 2005, Unisinos - São Leopoldo RS.

BUENO, A. de P. La construcción del conocimiento científico y los contenidos de ciencias. In: ALEIXANDRE, M. P. J. (Coord.) Enseñar ciencias. Barcelona: Editorial GRAÓ, p. 33-54, 2003.

CARVALHO, I. C. M. Qual educação ambiental? Elementos para um debate sobre educação ambiental e extensão rural. Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, Porto Alegre, v. 2, n. 2, 2001.

CARVALHO, I. C. M. Em direção ao mundo da vida: interdisciplinaridade e educação ambiental. Brasília: IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas, 1998. (Cadernos de Educação Ambiental).

DAMÁSIO, A. R. O erro de Descartes. São Paulo: Companhia da Letras. 2001. 330 p.

DANTAS, I. C. & SOUZA, C. M. C. Arborização Urbana na cidade de Campina Grande – PB: Inventário e suas espécies. Revista de Biologia e Ciências da Terra, v. 4, n. 2, 2004.

DIAS, G. F. 40 contribuições pessoais para sustentabilidade – São Paulo: Gaia, 2005.

KAWASAKI, C. S. Nutrição vegetal: campo de estudo para o ensino de Ciências. São Paulo, 1998. 313f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo.
LOPES, G.C.L.R., ALLAIN, L.R. Lançando um olhar crítico sobre as saídas de campo em biologia através do relato de uma experiência. In: ENCONTRO PERSPECTIVAS DO ENSINO DE BIOLOGIA, 8, 2002, São Paulo. Anais... São Paulo: FEUSP/USP, 2002.

GAUTHIER, C. MATINEAU, S.; DESBIENS, J.F.; MALO, A.; SIMARD, D. Por uma teoria da pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí: Ed. UNUJUÌ, 1998. (Coleção Fronteiras da Educação)

MORIN, E. A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 2. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000. 128p

PEGORARO, J. L. Atividades educativas ao ar livre: um quadro a partir de escolas públicas da região de Campinas e dos usos de área úmida urbana com avifauna conspícua (Minipantanal de Paulínia - SP). São Carlos, 2003. 307p. Tese (Doutorado em Ciências da Engenharia Ambiental) – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2003.

PÒRLAN,R.; RIVIERO, A ; MARTIN DEL POZO, R. Conocimiento profesional y epistemologia de los profesores I: teoria, métodos e instrumentos. Enseñanza de las Ciencias , 5(2), 155-71, 1997

SANTOS, V. M. N.; COMPIANI, M. Formação de professores: desenvolvimento de projetos escolares de educação ambiental com o uso integrado de recursos de sensoriamento remoto e trabalhos de campo para o estudo do meio ambiente e exercício da cidadania. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 5., 2005, Bauru. Anais... Bauru: ABRAPEC, 2005.

SILVA, C. L. da (Org.). Desenvolvimento Sustentável: Um modelo analítico integrado e adaptativo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

TARDIF, M. LESSARD, C.; LAHAYE,L. Os professores face ao saber:um esboço de uma problemática do saber docente. Teoria e Educação, no. 4, 1991. p.215-33

TAPIA, J. A.; FITA, E. C. A motivação em sala de aula: o que é, como se faz. São Paulo: Edições Loyola, 1999.

TENERELLI, A.; SILVA, D. G. F. da; PAIVA, E. C. de C. A educação e sua contribuição na garantia de sustentabilidade no processo de desenvolvimento. In:


THERRIEN, J. Saber de experiência, identidade e competência profissional - como os docentes produzem sua profissão. In: Contexto e Educação. Ijuí: Ed. UNIJUÏ, 1996. V.1, no. 1, p. 7-36.
VARGAS, E. T. Um viveiro de mudas como ferramenta para o ensino de Ecologia, Botânica e Educação Ambiental. Dissertação. Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Programa de pós-graduação Stricto Sensu – Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática. Belo Horizonte 2007.

VARINE, Hugues de. O Ecomuseu. Ciências e Letras, n. 27, p. 61-90, 2000.

VIVEIRO, A. A. Atividades de campo no ensino das ciências: investigando concepções e práticas de um grupo de professores. 2006. 172 f. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência) – Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2006.