A participação da juventude rural no projeto Sementes Agroecológicas, em Rondônia

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Bruna Érica de Oliveira Clodoaldo de Oliveira Freitas Eliane Silva Leite Tânia Olinda Lima Greice Leite Freitas

Resumo

A agroecologia fornece os princípios ecológicos básicos para o estudo e manejo de agroecossistemas, tanto produtivos, quanto preservadores dos recursos naturais, por ser socialmente justa, economicamente viável e ambientalmente sustentável. O trabalho consiste em avaliar os jovens pertencentes ao Projeto Sementes Agroecológicas: transformação cidadã da juventude do campo na Amazônia, no que tange ao perfil educacional, conceitos e práticas agroecológicas, distribuição de renda, segurança, soberania alimentar e nutricional. O projeto visa o desenvolvimento com foco em agroecologia para juventude rural e da pesca. A pesquisa abrangeu 51 jovens cursistas, o levantamento de dados priorizou a pesquisa-ação-participativa através de questionários intitulados “Perfil de Entrada”. A faixa etária de maior ocorrência entre os jovens cursistas é de 20 a 23 anos com 43%. O nível de escolaridade ensino médio é a maior porcentagem, seja de forma completa ou incompleta. No que tange a renda, a maior parte das famílias recebem de um a três salários mínimos, entretanto 8% das famílias recebem menos de um salário mínimo, contrapondo a 2% que recebem entre cinco e seis salários mínimos. As principais ocupações das/dos jovens cursistas compreendem entre: Agricultor (a), estudante, outros e pescador (a) artesanal, respectivamente em ordem crescente, relatam ainda a participação em organizações sociais. Os principais motivos para ingresso no projeto foi à possibilidade de obter mais aprendizado, seguido por adquirir conhecimento, repassar para a comunidade e a unidade familiar de produção. Quanto aos conhecimentos sobre agroecologia, as respostas versam sobre a forma de produzir e consumir alimentos saudáveis, onde 57% não têm experiência em práticas agroecológicas, assim como, não compreendem bem os conceitos de segurança e soberania alimentar.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
OLIVEIRA, Bruna Érica de et al. A participação da juventude rural no projeto Sementes Agroecológicas, em Rondônia. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, jan. 2017. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21325>. Acesso em: 03 dec. 2020.
Palavras-chave
Agricultura familiar, agroecologia, renda, permanência no campo
Seção
Agroecol 2016 - Construção de Conhecimentos Agroecológicos

Referências

ALMEIDA, A. K.; BENITES, A. T.; RODRIGUES, J. D.; PEREIRA, M. C.; MARTINS, E. R. Avaliação das políticas públicas para a agricultura familiar em Mato Grosso do Sul. In: XLV Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural (SOBER). Anais... 22 a 25 de julho de 2007. UEL - Londrina – PR.

ALTIERI, M. Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável – 4.ed. – Porto Alegre : Editora da UFRGS, 2004.

ALTIERI, M.A. Agroecology: the scientific basis of alternative agriculture. Boulder: Westview Press, 1987.

BRUMER, A. A Problemática dos Jovens Rurais na Pós-modernidade. In: Congreso LatinoAmericano de Sociología Rural, VII, 20-24 de novembro de 2006 Quito, Ecuador. Anais.

CARNEIRO, M. J.; CASTRO, E. G. C. Juventude rural em perspectiva. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

CAPORAL, F. R.; COSTABEBER, J. A. Agroecologia: alguns conceitos e princípios. Brasília : MDA/SAF/DATER-IICA, 2004.

CHAVES, R. de J., Contribuições dos Movimentos Sociais na Democratização do Acesso á Educação: A luta do MST em São Paulo pela escolarização. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de São Carlos, 2011.

DESER/Comissão de Jovens do Fórum Sul dos Rurais da CUT. Perspectivas de vida e trabalho da juventude rural da região Sul. Convênio: Ceris/Fórum Sul dos Rurais da CUT/Deser (mimeo.), 1999

FAO - Food and Agriculture Organization of the United Nations. Cúpula Mundial de Alimentação – Declaração de Roma Sobre Segurança Alimentar Mundial e Plano de Ação da Cúpula Mundial da Alimentação. Novembro de 1996, Roma.

_____________. O Estado de Segurança Alimentar e Nutricional no Brasil. Brasília,Agosto de 2014.

JÚNIOR, H. P. C. Estudo da participação e permanência dos Jovens na agricultura familiar na localidade do ancorado em Rosário da Limeira – MG. Centro Universitário de Caratinga. Caratinga: UNEC, 2007.

LAMBERTUCCI, A. R. A participação social no governo Lula. In: AVRITZER, Leonardo (org.). Experiências nacionais de participação social. São Paulo: Cortez, 2009. (Coleção Democracia Participativa).

MASCARENHAS, Â. C. B. A educação para além da escola: o caráter educativo dos movimentos sociais. In: PESSOA, Jadir de Morais (org). Saberes do nós: ensaios de educação e movimentos sociais. Goiânia: UCG, 2004. p. 15-28.

ONU - United Nations Organization. CESCR General Comment No. 12: The Right to Adequate Food (Art. 11) Adopted at the Twentieth Session of the Committee on Economic, Social and Cultural Rights, on 12 May 1999 (Contained in Document E/C.12/1999/5 Disponível: http://www.refworld.org/pdfid/4538838c11.pdf. Acessado dia 03 de setembro de 2016.

PENTEADO, S. R. Manual prático de agricultura orgânica fundamentos e técnicas. Campinas: 2009. 220p.

PUNTEL, J. A.; PAIVA, C. Á. N.; RAMOS, M. P. Situação e perspectivas dos jovens rurais no campo. Code, 2011

Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário – Casa Civil. Disponível: http://www.mda.gov.br/sitemda/juventuderural. Acesso dia 03 de setembro de 2016.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. 7. ed. São Paulo: Cortez, 1996.

WEISHEIMER, N. Os jovens agricultores e o processo de trabalho da agricultura familiar. In: VI Congresso da Associação Latino-Americana de Sociologia Rural (Alasru), Porto Alegre, novembro de 2002.