Indicadores de Resiliência do Solo de um Agroecossistema Ecológico Amazônico

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Wagner Gervazio Oscar Mitsuo Yamashita Ricardo Adriano Felito Adriano Maltezo da Rocha Aureane Cristina Teixeira Ferreira

Resumo

Este trabalho propõe uma abordagem sobre a resiliência do solo de um agroecossistema ecológico amazônico, no município de Alta Floresta- MT. Por meio de um estudo de caso, são propostos indicadores químicos, físicos e biológicos da resiliência do solo. Os indicadores demonstraram que o solo desse agroecossistema é resiliente, possui boa fertilidade, diversidade biológica de mesofauna e espécies espontâneas, além de demonstrar que o solo não está compactado, não está erodido, e que possui porosidade total com percentual médio. O sistema de manejo agroecológico utilizado pelo agricultor, influenciou positivamente os parâmetros desta avaliação.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
GERVAZIO, Wagner et al. Indicadores de Resiliência do Solo de um Agroecossistema Ecológico Amazônico. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, dec. 2016. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21278>. Acesso em: 03 dec. 2020.
Palavras-chave
Diversidade biológica, Espécies espontâneas, Sistema de manejo.
Seção
Agroecol 2016 - Manejo de Agroecossistemas Sustentáveis

Referências

ALVAREZ V. V.H.; NOVAES, R. F.; BARROS, N. F.; CANTARUTTI, R. B.; LOPES, A.S. Interpretação dos resultados das análises de solos. In: RIBEIRO, A.C.; GUIMARAES, P.T.G.; ALVAREZ V., V.H. (Ed.). Recomendação para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais: 5º Aproximação. Viçosa: Comissão de Fertilidade do Solo do Estado de Minas Gerais, 1999. p. 25-32.

ARAGÃO, D. V.; CARVALHO, C. J. R.; KATO, O. R.; ARAÚJO, C. M.; SANTOS, M. T. P.; MOURÃO JÚNIOR, M. Avaliação de indicadores de qualidade do solo sob alternativas de recuperação do solo no Nordeste Paraense. Acta Amazônica, v. 42, n.1, p.11-18, 2012.

ARAÚJO, A. S. F. de; ROSIM, R. T. M. Indicadores biológicos de qualidade do solo. Biosci. J., Uberlândia, v.23, n.3, p.66-75, 2007.

BERUDE, M. C.; GALOTE, J. K. B.; PINTO, P. H.; AMARAL A. A. A mesofauna do solo e sua importância como bioindicadora. Enciclopédia Biosfera, Goiânia, v.11, n.22, p.14-28, 2015.

BUSCHBACHER, R. A teoria da resiliência e os sistemas socioecológicos: como se preparar para um futuro imprevisível? 2014. Acesso em: 05 set. 2016. Disponível em: http://www.resilience2014.org/.

CABELL, J. F.; OELOFSE, M. An indicator framework for assessing agroecosystem resilience. Ecology and Society. v.1, n.17, p.1-8, 2012.

GERVAZIO W.; RODRIGUES, C.; BESSA, G .J. L.; SILVEIRA, G. S.; YAMASHITA, O.M. Indicadores da qualidade do solo de um agroecossistema ecológico amazônico na visão etnopedológica. Enciclopédia Biosfera. Goiânia, v.10, n.19, p. 2312-2326, 2014.

GLIESSMAN, S. R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre: UFRGS, 2005. 653p.

NICHOLLS, C.; ALTIERI, M.; DEZANET, A.; LANA, M.; FEISTAUER, D.; OURIQUES, M. A rapid, farmer-friendly agroecological method to estimate soil quality and crop health in vineyard systems. Biodynamics, v.250, p.33-40, 2004.

NICHOLLS, C.; ALTIERI, M.; SALAZAR, A.H.; LANA, M.A. Agroecologia e o desenho de sistemas agrícolas resilientes às mudanças climáticas. Agriculturas, experiências em agroecologia. Cadernos para debate n.2, p.3-36. 2015. Acesso em: 03 set. 2016. Disponível em: http://aspta.org.br/wp-content/uploads/2015/02/Agriculturas_Caderno_DebateN02_Baixa.pdf.

MARZALL, K.; ALMEIDA, J. Indicadores de sustentabilidade para agroecossistemas: estado da arte, limites e potencialidades de uma nova ferramenta para avaliar o desenvolvimento sustentável. Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, v.17, n.1, p.41-59, 2000.

PRIMAVESI, A. Agricultura Sustentável. Nobel: São Paulo, 1992, 142p.

PRIMAVESI, A. Agroecologia e Manejo do Solo. In Agriculturas: revista experiências em agroecologia, v.5, n.3, p.7-10. Rio de Janeiro, RJ: AS-PTA. 2008.

SEPLAN. Unidades Climáticas do Estado de Mato Grosso. Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral. Cuiabá, 2001.

RADAMBRASIL, Projeto. Departamento Nacional da Produção Mineral. Levantamento de recursos naturais. Folha SC. 21 Juruena; geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação e uso do potencial da terra. Rio de Janeiro: Gráfica Alvorada Ltda., 1980.

RINKLIN, H. et al. Agricultura ecológica. Mondaí: Terra Nova, 1992.