Diagnóstico socioeconômico e ambiental da comunidade tradicional Bracinho no Pantanal de Paiaguás em Corumbá, estado de Mato Grosso Sul

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Vanderlei Conceição Jaqueline Silva Nascimento Zefa Valdivina Pereira Patrícia Rochefeler Agostinho Landi Aramí Rossato Paulus

Resumo

As relações humanas e a preservação ambiental são características dos diferentes pantanais que constituem uma grande diversidade de paisagens, proporcionando uma riqueza de culturas nas comunidades tradicionais que vivem no pantanal matogrossense. Neste contexto, o estudo teve como objetivo conhecer as potencialidades e dificuldades sociais, econômicas e ambientais da comunidade tradicional Bracinho, na região do pantanal de Paiaguás, em Corumbá-MS. A pesquisa pautou-se na aplicação de questionário semiestruturado, contendo questões abertas e fechadas, com o intuito de conhecer as potencialidades e dificuldades socioeconômicas e ambientais, através da perspectiva das famílias da comunidade, tais como: qualidade de vida, sistema de produção e comercialização de produtos de origem animal e vegetal, atividades de geração de renda, e conhecer os aspectos positivos e negativos relacionados à preservação ambiental. Foram realizadas entrevistas individuais com representantes de 30 famílias. As informações coletadas foram organizadas, processadas eletronicamente utilizando-se a Planilha Eletrônica BrOffice Calc 2.2. O perfil socioeconômico da comunidade demonstra forte dependência da bolsa família, em virtude da dificuldade de produção de alimentos, devido à degradação ambiental. Além disso, apresentam problemas de infraestrutura nas residências, tais como: saneamento básico, falta de água potável, baixo nível de escolaridade e dificuldades no transporte escolar. Esses gargalos comprometem o desenvolvimento da comunidade. Também possuem problemas de escoamento da produção agropecuária, por falta de locais para sua comercialização, prejudicando a renda familiar. Propõe-se a produção agroecológica, ou o registro com um selo pantaneiro, para valorizar os produtos locais e manter essas comunidades no local, juntamente com a preservação ambiental.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
CONCEIÇÃO, Vanderlei et al. Diagnóstico socioeconômico e ambiental da comunidade tradicional Bracinho no Pantanal de Paiaguás em Corumbá, estado de Mato Grosso Sul. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, dec. 2016. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21272>. Acesso em: 03 dec. 2020.
Seção
Agroecol 2016 - Sociedade e Natureza

Referências

ALMEIDA, M. A. de; SILVA, D. A.; JOANA, C. As comunidades tradicionais pantaneiras Barra de São Lourenço e Amolar, Pantanal, Brasil. História e Biodiversidade, p. 10-31, 2012.
BAZZO, J C.; FREITAS, D. A. F.; SILVA, M. L. N.; CARDOS, E. L.; SANTOS, S. A. Aspectos geofísicos e ambientais do pantanal da Nhecolândia. Revista de Geografia, Recife, PB, v. 29, n. 1, p. 141-161, 2012.
BORGES, J. R. P.; CHAUDRHY, F. H.; Representações de Comunidades Tradicionais: um Instrumento para a Gestão dos recursos hídricos no Pantanal; Raízes. Campina Grande, SP, v. 23, n. 01 e 02, p. 73–80, 2005.
COUTINHO, C. R.; ANDRADE, J. A. S.; MENDES, M. R.; MENDES, H. T. A.; SOUZA, A. A.; CUNHA, L. M. V. Lixo residencial rural: educação ambiental nas comunidades rurais de Agreste e Ressaca no município de Verdelândia–norte de Minas Gerais. Cadernos de Agroecologia, v. 6, n. 2, p. 1-12, 2011.
CURADO, F. F. Considerações Socioeconômicas e Ambientais Relacionadas aos “Arrombados” na Planície do Rio Taquari, MS. Embrapa Pantanal, Corumbá, MS, 2004 (Embrapa Pantanal. Documento, 67).
DECRETO Nº 6.040, de 7 de fevereiro de 2007 Institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais. Disponível em Acesso em 15 de Março de 2015.
ESPINDOLA, E. G.; MATSUMURA-TUNDISI, T.; MORENO, I. H. Efeitos da dinâmica hidrológica do sistema Pantanal Matogrossense sobre a estrutura da comunidade de zooplâncton da Lagoa Albuquerque. Acta Limnologica Brasiliensia, Rio Claro, SP, v. 8, p. 37-57, 1996.
FERREIRA, A. B. de B. Pantanal Mato-Grossense: considerations for economic development and environmental preservation, Revista Internacional de Desenvolvimento Local-UCDB Campo Grande, MS, v. 14, n. 1, p. 11-20, 2013.
GALDINO, S.; PADOVANI, C. R.; RESENDE, E. K. de; SORIANO, B. M. A.;TOMICH, T. R.; LARA, J. A. F. de Ações para solucionar os problemas da bacia do rio Taquari – Pantanal; ADM – Artigo de Divulgação na Mídia, Embrapa Pantanal, n. 102, p. 1-4, Corumbá, MS, 2006.
MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, MPF/MS garante transporte escolar a alunos de comunidade pantaneira. Assessoria de Comunicação Social Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul Disponível em: < http://www.prms.mpf.mp.br/servicos/sala-de-imprensa/noticias/2014/05/mpf-ms-alunos-de-escola-rural-no-pantanal-garantem-direito-a-transporte-escolar> 2014. Acesso em: 03 març. 2015.
MORAIS, F. F.; SILVA, C. J. da; JOANA, C. Conhecimento ecológico tradicional sobre fruteiras para pesca na Comunidade de Estirão Comprido, Barão de Melgaço-Pantanal Matogrossense. Biota Neotropica, Campinas, SP, v. 10, n. 3, p. 197-203, 2010.
NEIVA, A. C. G. R.; SENERO, J. R. B.; SANTOS, S. A.; FIORAVANTE, M. C. S. Caracterização socioeconômica e cultural da comunidade quilombola Kalunga de Cavalcante, Goiás, Brasil: dados preliminares. Anais.... Simpósio Nacional do Cerrado, 9, Brasília-DF, 12 a 17 de outubro de 2008, Brasília, DF, 2008.
PARANHOS FILHO, A. C.; MOREIRA, E. S.; OLIVEIRA, A. K. M. PAGOTTO, T. C. S.; MIOTO, C. L. Analysis of landcover changes using remote sensing between 2003 and 2010 in the Pantanal region. Engenharia Sanitaria e Ambiental, Campo Grande, MS, v. 19, n. SPE, p. 69-76, 2014.
PIGNATTI, M. G.; CASTRO, S. P. A fragilidade/resistência da vida humana em comunidades rurais do Pantanal Mato-Grossense (MT, Brasil). Ciência Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, RJ, v. 15, n. Supl 2, p. 3221-3332, 2010.
SANTOS, C. F.; SIQUEIRA, E. S.; ARAÚJO, I. T.; MAIA, Z. M. G.; A agroecologia como perspectiva de sustentabilidade na agricultura familiar. Ambiente & Sociedade, v. 17, n. 2, p. 33-52, 2014.
SILVA, P. N. D.; PASA, M. C. Vegetação, cultura e economia: aspectos etnobotânicos da comunidade Capão em Barão de Melgaço, Mato Grosso, Brasil. FLOVET-Boletim do Grupo de Pesquisa da Flora, Vegetação e Etnobotânica, v. 1, n. 6, p. 65-84, 2014.
SILVA, J. S. V.; ABDON, M. M. Delimitação do Pantanal brasileiro e suas sub-regiões. Pesquisa agropecuária brasileira, Brasília, DF, v. 33, n. 13, p. 1703-1711, 1998.
SOUZA, C. A.; LANI, J. L.; SOUSA, J. B. Origem e evolução do Pantanal Mato-grossense. Anais..... SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOFORMOLOGIA, 6, 2006, Goiâna, GO, 2006.
ZAMBARLAM, J. Agroecologia: caminho de preservação agricultor do meio ambiente. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2012.