Mudas de pimentão verde em função de diferentes concentrações de pó de rocha no substrato

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Samayana Inacio Delprete Mirian Gomes Silva Romário Vargas Vargas Garcia Ariane Cardoso Costa Wallace Luís Lima

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos do pó de rocha, adicionado em diferentes concentrações em misturas com composto orgânico, no desenvolvimento mudas de pimentão verde. O experimento foi conduzido no período de junho a julho de 2016, em casa de vegetação, localizada no Setor de Agroecologia do IFES - Campus de Alegre, no município de Alegre – ES. As mudas foram produzidas em bandejas de isopor com 72 células, em delineamento inteiramente casualizado com 10 repetições. Os tratamentos consistiram por: T1 – 100% composto orgânico; T2 – 90% composto orgânico + 10% pó de rocha; T3 - 85% composto orgânico + 15% pó de rocha e T4 - 80% composto orgânico + 20% pó de rocha. Os parâmetros morfológicos avaliados foram: número de folhas, massa fresca da raiz (g), massa fresca da parte aérea (g), massa fresca total (g) e altura da parte aérea (cm). Para verificar a eficácia do estudo foi empregado nas médias dos tratamentos o teste Tukey ao nível de 5% de probabilidade. Os resultados apresentou que o T3 e T4 tiveram foram superiores em todos os parâmetros avaliados, demonstrado à eficiência do uso do pó de rocha em substratos na produção de muda da cultura estudada. Concluirmos que o experimento verificou que o uso de pó de rocha quando comparado ao composto orgânico puro estabeleceu crescimento as plântulas, fazendo se necessário o uso do pó de rocha com o intuito de levar ao campo mudas maiores, é assim suportar o efeito do ambiente.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
DELPRETE, Samayana Inacio et al. Mudas de pimentão verde em função de diferentes concentrações de pó de rocha no substrato. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, dec. 2016. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21193>. Acesso em: 03 dec. 2020.
Seção
Agroecol 2016 - Desenvolvimento Rural e Urbano em Bases Agroecológicas

Referências

EPSTEIN, E. The science of composting. Lancaster: Tschnomic Publishing, 1997.

FERREIRA, D. F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia (UFLA), Lavras - MG, v. 35, n.6, p. 1039-1042, 2011.

FRIZZONE, J. A.; GONÇALVES, A. C. A.; REZENDE, R. Produtividade do pimentão amarelo, Capsicum annuum L., cultivado em ambiente protegido, em função do potencial mátrico de água no solo. Acta Scientiarum, Maringá, v. 23, n. 5, p. 1111-1116, 2001.

KNAPIK, J. G.; ANGELO, A. C. Pó de basalto e esterco eqüino na produção de mudas de Prunus sellowii Koehne (ROSACEAE). Floresta, v. 37, n. 03, p. 427-436, 2007.

Morgado IF. Nova Metodologia de Produção de Mudas de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden e Saccharum spp. utilizando resíduos prensados como substrato [tese]. Universidade Estadual do Norte Fluminense. 1998.

Resende M, Curi N, Resende SB, Corrêa GF. Pedologia: base para distinção de ambientes. 4. ed. Viçosa: Neput; 2002. 338 p

Theodoro SH, Leonardos O, Rocha EL, Rego KG. Experiências de uso de rochas silicáticas como fonte de nutrientes. Espaço & Geografi 2006; 9(2): 263-292.

Wendling I, Gatto A. Substratos, adubação e irrigação na produção de mudas. Aprenda Fácil; 2002.