Alometria e Modelagem de Estimativas Foliares de Pimenta Preta (C. frutescens)

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Jean Karlos Barros Galote Matheus Wandermure Silva Elcio do Nascimento Chagas Romário Vargas Vargas Garcia Juliane Elias Oliveira

Resumo

As estimativas foliares podem ser realizadas de duas formas, métodos diretos destrutivos, por meio da coleta in loco das folhas e submetidas a análises biométricas de área, e métodos indiretos não destrutivos com base em modelos empíricos de estimação. A pimenta preta (C. frutescens) apresenta bons atrativos ao mercado consumidor pelo seu saber suave, e coloração diferenciada. Neste trabalho, utilizou-se o método direto para estimação da área foliar de pimenta preta (C. frutescens), com base em modelos de regressão exponencial, linear, logarítmico, potencial, e quadrático, tendo como base as respostas de massa fresca e seca. A alometria das folhas ocorreu pelo método direto com a coleta de 100 folhas oriundas de diferentes plantas submetidas a pesagem individual da massa fresca, e leitura de área foliar por meio de software estatístico e scanner de mesa, e pesagem da massa seca. A partir dos resultados obtidos na confecção de modelo de estimação da área foliar tendo como base o peso de matéria seca, foi possível verificar que os modelos potencial, quadrático e logaritmo apresentaram índice de confiança e desempenho classificados como “ótimo” para a variável resposta massa fresca.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
GALOTE, Jean Karlos Barros et al. Alometria e Modelagem de Estimativas Foliares de Pimenta Preta (C. frutescens). Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, jan. 2017. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21192>. Acesso em: 05 dec. 2020.
Seção
Agroecol 2016 - Desenvolvimento Rural e Urbano em Bases Agroecológicas

Referências

BENINCASA, M.M.P. Análise do crescimento de plantas: noções básicas. Jaboticabal: FUNEP, 1988. 42 p. (Boletim Técnico, 467).

CAMARGO, A. P.; SENTELHAS, P. C. Avaliação do desempenho de diferentes métodos de estimativa da evapotranspiração potencial no estado de São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Agrometeorologia, v.5, p.89-97, 1997.

CARVALHO, S.I.C.; BIANCHETTI; L.B. 2004 Sistema de Produção de Pimentas (Capsicum spp.): Botânica. Embrapa Hortaliças, Sistemas de Produção. Disponível em http://www.cnph.embrapa.br/sistprod/ pimenta/botanica.html>, Acesso em: 15 de outubro de 2012.

CISNEROS-PINEDA, O.; TORRES-TAPIA,L. W.; GUTIÉRREZ-PACHECO, L. C;CONTRERAS-MARTÍN F.; GONZÁLESESTRADA,T.; PERADA-SÁNCHEZ, S. R.Capsaicinoids quantification in chili pepperscultivated in the state of, Yucatan, Mexico.Food Chemistry. n.104, p. 1755-1760, 2007.

FAVARIN, J.L.; NETO, D.D.; GARCIA, A.; VILLA NOVA, N.A.; FAVARIN, M. G.G.V. Equações para a estimativa do índice de área foliar do cafeeiro. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.37, n.6, p.769-773, 2002.

FRANSCISCO, J. P.; DIOTTO, A. V.; FOLEGATTI, M. V.; SILVA, L. D. B. da.; PIEDADE, S. M. de S. Estimativa da área foliar do abacaxizeiro cv. Vitória por meio de relações alométricas, Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal – SP, v.36, n.2, 2014.

GUISCEM, J. M.; SANS, L. M. A.; CRUZ, J. C.; PEREIRA FILHO, I. A.; D, Z. M.; NAKAGAWA, J. Avaliação de métodos para estimar a área foliar de milho. XXIII Comgresso Nacional de Milho e Sorgo. Uberlândia: ABMS: Embrapa Milho e Sorgo. 2000.

INCAPER – INSTITUTO CAPIXABA DE PESQUISA, ASSITENCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL. Alegre - Características Geográficas. Disponível em:< http://alegre.es.gov.br/site/index.php/a-cidade/historia/caracteristicas-geograficas>, Acesso: 20 de agosto de 2016.

LOPES, C. A.; RIBEIRO, C. S. C.; CRUZ, D. M. R.; FRANÇA, F. H.; REIFSCHNEIDER, F. J. B.; HENZ, G. P.; SILVA, H. R.; PESSOA, H. S.; BIANETTI, L. B.; JUNQUEIRA N. V.; MAKISHIMA N.; FONTES R. R.; CARVALHO S. I. C.; MAROUELLI W. A.; PEREIRA W. Sistema de produção de pimentas (Capsicum spp): Botânica, importância econômica, colheita, consumo e comercialização. 2007. Embrapa Hortaliças, Sistema de Produção, 4 ISSN 1678. Versão eletrônica. Disponível em:. Acesso em 25 de outubro de 2012.

R CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. Disponível em:, 2016.

REIFSCHNEIDER, F. J. B. (Org.) Capsicum: pimentas e pimentões no Brasil. Brasília: Embrapa Comunicação para Transferência de Tecnologia/Embrapa Hortaliças. 113p, 2000.

SCHMILDT, E. R.; AMARAL, J. A. T. do.; SCHMILDT, O.; SANTOS, J. S. Análise comparativa de equações para estimativa da área foliar em cafeeiros. Coffee Science, Lavras, v.9, n.2, p.155-167, 2014.

TOEBE, M.; FILHO, A. C.; LOOSE, L. H.; HELDWEWIN, A. B.; ZANON, A. J. Área foliar de feijão-vagem (Phaseolus vulgaris L.) em função de dimensões foliares. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 33, n. 1, p. 2491-2500, 2012. Suplemento.

TORRES, R. C.; BORGES, K. C. A. de S. Ação da giberelina no crescimento de pimenta (Capsicum frutescens). Cadernos UniFOA Edição Especial Ciências da Saúde e Biológicas - Maio/2013.

WILLMOTTT, C. J. On the validation of models. Physical Geography, v.2, p.184-194. 1981.

ZUCOLOTO, M.; LIMA, J. S. S.; COELHO, R. I. Modelo matemático para estimativa da área foliar total de bananeira ‘Prata-Anã’. Revista Brasileira de Fruticultura, v.30, p.1152-1154, 2008.