Plantas medicinais empregadas em benzimentos na região de Palmas - PR

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Elenice Padilha Oliveira Eloiza Maria Taques Pedro Vinicius Souza Moreira Cássia Regina Sieben Emi Rainildes Lorenzetti

Resumo

O uso popular de plantas é uma arte muito antiga, fundamentada no acúmulo de informações repassadas oralmente através de sucessivas gerações. De maneira semelhante, o benzimento é uma atividade antiga comumente práticada nas comunidades tradicionais. Costuma ser associada à religião católica, especificamente ao catolicismo popular e transmitida de geração a geração, ou recebida como um “dom divino”. Seu caráter sagrado é evidenciado no gestual e/ou nas rezas realizadas que visam curar doenças, males específicos do corpo e do espírito. Tais males são perturbações que atingem não apenas o corpo, a esfera física, mas estão relacionadas a questões sociais, psicológicas e/ou espirituais que afetam a vida cotidiana como um todo. Sendo natural o uso de chás e banhos de ervas medicinais muitas vezes receitados. As ervas podem ser benzidas, o que torna sua eficácia ainda maior. Este trabalho foi realizado em regiões próximas a Palmas – PR, entre outubro e novembro de 2015. Objetivou-se associar o uso de plantas medicinais às práticas de pessoas consideradas “benzedeiras (os) ”. Foram realizadas entrevistas através de questionários com perguntas abertas, para 11 benzedeiras (os) em três municípios da região. Após as entrevistas, os resultados mais interessantes foram compilados em tabela. Foi observada grande utilização das plantas medicinais, principalmente arruda, cânfora, carqueja, hortelã, malva e pata de vaca, na hora do benzimento e indicados como chá ou preparados.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
OLIVEIRA, Elenice Padilha et al. Plantas medicinais empregadas em benzimentos na região de Palmas - PR. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, dec. 2016. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21169>. Acesso em: 03 dec. 2020.
Palavras-chave
Etnobotânica, conhecimento popular, benzedeiras.
Seção
Agroecol 2016 - Outros Temas

Referências

AMORIM, Cleides. Medicina popular: técnica ou crença. Comissão Maranhense de Folclore, São Luís: Boletim 18, p. 6-7, Dezembro, 2000.

GOMES, Núbia Pereira de Magalhães e PEREIRA, Edmilson de Almeida. Assim se benze em Minas Gerais: um estudo sobre a cura através da palavra. 2. ed. Belo Horizonte. Mazza Edições, 2004.

HOFFMANN-HOROCHOVSKI, Marisete T. Velhas benzedeiras. Artigo publicado em: Mediações - Revista de Ciências Sociais Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/mediacoes/article/viewFile/14025/1186 Acesso em : 15 de novembro de 2015.

MACIEL, Márcia Regina Antunes; GUARIM NETO, Germano Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Ciênc. Hum., v.1, nº 3, Belém, p. 61-77, 2006.

MARTINS, Cristiana Kovalski; JOSEFINA, ANA O que cura: o benzimento ou o uso de ervas medicinais (sem data) Disponível em: http://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/38541/R%20-%20E%20-%20CRISTIANA%20KOVALSKI%20MARTINS.pdf?sequence=1 Acesso em 1 de setembro de 2016.

NASCIMENTO, Ana Paula Branco do Sobrepeso e obesidade: dieta, uso de recursos e adaptabilidade em populações humanas rural e urbana de Piracicaba, SP. 81p. [Tese de DOUTORADO –Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz-ESALQ/USP], 2008.

OLIVEIRA, Elda Rizzo. O que é benzeção. São Paulo: Brasiliense; 1985.

PAULA, Alexandro de; MORAIS, Karísia; CUNHA, Lidiane Alves Guardiãs do saber: memórias de mulheres sábias. VIII Salão de Iniciação Científica da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, Anais... Mossoró: Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, 2012. Disponível em: http://propeg.uern.br/downloads/SIC/VIII_SIC/Anais/Anais_VIII_SIC_CH.pdf Acesso em 1 de setembro de 2016.

SANTOS, Francimário Vito dos. O ofício das rezadeiras: um estudo antropológico sobre as práticas terapêuticas e a comunhão de crenças em Cruzeta/RN. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2007.

SILVA, Claudia Santos da. Rezadeiras: guardiãs da memória. V ENECULT – Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura. Faculdade de Comunicação, UFBA, 2009. Disponível em: Acesso em: 15 de novembro de 2015.

SIQUEIRA, Ailton. Sabedorias do Instante: algumas considerações sobre o repente e a literatura de cordel. In Ciência humana & potiguar / Anderson Cristopher dos Santos, Anaxsuell Fernando da Silva (orgs.). – 1.ed. – Natal: Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UFRN, 2010, p. 51-63.

SOUSA, Ronald Felipe Barreto. Pra curar tem que ter fé: Curandeiros, Benzedeiras e Rezadores – memórias de indivíduos numa perspectiva Histórica. Disponível em: http://uece.br/eventos/eehce2014/anais/trabalhos_completos/103-9359-10082014-221519.pdf Acesso em: 03 de setembro de 2016.