Manejo da Diversidade Vegetal e Sua Influência Sobre a Abundância de Himenópteros na Cultura do Coqueiro.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Carolina Rodrigues de Araujo Mauro Sérgio Teodoro Gerson Nascimento Silva Alecsandra Melo Araujo

Resumo

A diversidade nos ecossistemas agrários pode favorecer a redução da pressão das pragas e maximizar a atividade dos inimigos naturais. Este trabalho teve como objetivo conhecer a fauna de Hymenoptera associada a cultura do coqueiro no Piauí em duas situações: em plantio consorciado com adubos verdes (crotalária juncea, feijão guandu-anão, feijão-caupi, feijão de porco e caninha, plantados de maneira intercalada nas entrelinhas do coqueiral) e em plantio solteiro, com crescimento de plantas espontâneas. O experimento foi realizado durante o período de 3 meses, com coletas mensais através de armadilha Malaise posicionadas no centro de cada área amostral. Os insetos coletados foram conduzidos ao Laboratório de Ecologia de Insetos da EMBRAPA Meio-Norte UEP Parnaíba-PI para triagem, conservação em álcool 70% e identificação taxonômica para posterior análise. Foi amostrado um total de 4.587 exemplares de himenópteros, pertencentes a 25 famílias, sendo mais representativas em relação à abundância relativa Vespidae, Cabronidae, Formicidae, Apidae, Scelionidae e Pteromalidae. Os valores médios de abundância de himenópteros nas duas áreas amostradas não diferiram estatisticamente entre si, e os índices de diversidade e equitabilidade não foram diferentes para as duas áreas, o que demonstra que o plantio das espécies de adubação verde não se diferenciou da área com crescimento de plantas espontâneas. Ressalta-se o importante papel das plantas espontâneas como fonte de diversificação vegetal, atraindo grande número de insetos benéficos. No entanto, o plantio de adubos verdes podem ser considerados uma alternativa para atrair essa fauna, com menos gastos relacionados à capinas.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ARAUJO, Carolina Rodrigues de et al. Manejo da Diversidade Vegetal e Sua Influência Sobre a Abundância de Himenópteros na Cultura do Coqueiro.. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, dec. 2016. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21114>. Acesso em: 03 dec. 2020.
Palavras-chave
adubação verde, polinizadores, parasitoides, predadores, manejo de habitat
Seção
Agroecol 2016 - Manejo de Agroecossistemas Sustentáveis

Referências

ESPINDOLA, J.A.A.; ALMEIDA, D.L.; GUERRA, J.G.M. Estratégias para utilização de leguminosas para adubação verde em unidades de produção agroecológica. Seropédica: Embrapa Agrobiologia, 2004. 24 p. (Embrapa Agrobiologia. Documentos, 174).

GALLO, D. et al. Entomologia agrícola. Piracicaba, FEALQ, 2002. 920p.

HANSON, P. E.; GAULD, I. D. Hymenoptera de la Región Neotropical. Memoirs of the American Entomological Institute, v. 77. 2006. 994p.

LANDIS, D.A. et al. Habitat management to conserve natural enemies of arthropod pests in agriculture. Annual Review of Entomology, v. 45, p. 175-201, 2000.

MONTECINOS, C. La modernización agrícola: Análisis de su evolución. In: Curso de autoformación a distância. Chile: Centro de Educacion y Tecnologia, 1996. p. 11-22. (Módulo I: Desarrollo Rural Humano y Agroecologico).

PÉREZ, N. C.; POZO, E. N. El problema de las plagas. In: Curso de autoformación a distância. Chile: Centro de Educacion y Tecnologia, 1996. p. 159- 166. (Módulo II: Desarrollo Rural Humano y Agroecologico).

PIELOU, E. C. An introduction to Mathematical Ecology. New York: Wiley Interscience, 1969. 286 p.

SHANNON, C. E.; WEAVER, W. The mathematical theory of communication. 1. ed. Urbana, Illinois: The University of Illinois Press, 1949. 144 p.

USDA. Grupo de estudos sobre Agricultura Orgânica. Relatório e recomendações sobre agricultura orgânica. Tradução de Iara Maria Correia Della Senta. Brasília: CNPq/Coordenação Editorial, 1984. 128 p.