Práticas de sanidade como ferramenta de desenvolvimento na Pecuária Familiar da Região do Bolsão

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Thaís Rodrigues Arnaldo da Silva Batista Heitor Romero Jr Marques

Resumo

A Pecuária Familiar é importante fonte de subsistência de diversas regiões do país, tem como base um rebanho com número reduzido de animais normalmente com objetivo de produção leiteira. Este estudo teve como objetivo obter informações sobre as práticas sanitárias e a percepção de risco de produtores rurais da bovinocultura de leite familiar no município de Ribas do Rio Pardo em Mato Grosso do Sul. Foi aplicado um questionário com perguntas referentes ao manejo profilático realizado na fazenda, as respostas foram relacionadas a aspectos socioeconômicos e submetidos à análise estatística pelo teste do qui-quadrado. Dentre as variantes observadas as mais expressivas foram o teor de escolaridade dos responsáveis pelas propriedades e a veiculação de patógenos pela água. Assim, foi perceptível o impacto negativo gerado pela ausência da assistência veterinária no gerenciamento dos manejos profiláticos e sanitários, e do desconhecimento de programas sanitários desenvolvidos pelo Governo Estadual e Federal. O conhecimento científico desenvolve a economia rural ao maximizar ganhos e reduzir lucros, porém a maior dificuldade é a disseminação desse conhecimento que mesmo sendo tão necessário aos homens do campo é para alguns um objetivo inalcançável. A sanidade é possível de ser alcançada com práticas simples conhecidas pela maioria dos trabalhadores rurais, sendo possíveis de serem empregadas na rotina diária.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
RODRIGUES, Thaís; BATISTA, Arnaldo da Silva; MARQUES, Heitor Romero Jr. Práticas de sanidade como ferramenta de desenvolvimento na Pecuária Familiar da Região do Bolsão. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, dec. 2016. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21046>. Acesso em: 02 dec. 2020.
Palavras-chave
educação sanitária, bovinocultura leiteira, assentamento
Seção
Agroecol 2016 - Educação do Campo

Referências

BRASIL, Instrução Normativa Nº 62, de 29 de dezembro de 2011. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. 2011.

BRASIL. Resolução N° 196, de 10 de outubro de 1996. Conselho Nacional de Saúde. Ministério da Saúde. 1996.

BRASIL, MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Manual Técnico do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose, 2004. Brasília.

HAIR, J. F.; BLACK, B.; BABIN, B.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L. Multivariate data analysis. Publisher: Prentice Hall. 6 edition, 2005.

IBGE/SIDRA - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Fonte: . Acessado em 09 de outubro de 2014.

MAPA. Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Programas da Área Animal. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/. Acesso em 10 de outubro de 2014.

MARQUES JÚNIOR, H. R., Práticas Sanitárias e Percepção de Risco de Produtores de Bovinos de Corte no Pantanal de Mato Grosso do Sul. Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Jaboticabal – SP. 2014.

PEREIRA, F. B., Diagnóstico de Situação das Práticas de Manejo Sanitário em Sistemas de Produção de Bovinos de Corte. Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita” campus de Araçatuba – SP. 2010.

PEREIRA, V. R. A criação do assentamento mutum - MS: duas décadas marcadas por uma história de lutas, percalços e superação - Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Unidade Campo Grande, MS: UEMS, 2013.

SIMÕES, A.R.P.; SILVA, R.M.; OLIVEIRA, M.V.M. Avaliação econômica de três diferentes sistemas de produção de leite na região do Alto Pantanal Sul-mato-grossense. Agrarian, v.2, n.5, p.153-167, 2009.

SINDAN. Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal. Mercado Veterinário – Faturamento do Setor. Disponível em: . Acesso em 14 de outubro de 2014.