Teste de Aceitação da Salada de Vinagreira (Hibiscus sabdariffa L.) no Restaurante Universitário da Universidade Federal de Mato Grosso – Campus Rondonópolis

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Hebert Teixeira Cândido João Paulo Araujo Rodrigues José Adolfo Iriam Sturza Roney da Cruz Barbosa

Resumo

Hortaliças não-convencionais são plantas produzidas predominantemente em fundos de quintas por pequenos produtores rurais, onde o cultivo muitas vezes é uma alternativa de complemento alimentar para a família. Referente a essas espécies, há uma deficiência de estudos, e o conhecimento que os pequenos agricultores possuem foi adquirido geração a geração. Este cenário torna essas plantas e conhecimentos suscetíveis à extinção. Para manutenção de conhecimento e plantas, surgiu em 2015 na Universidade Federal de Mato Grosso, o Centro Agroecológico de Pesquisa e Extensão (CENAPE). Dentre outras hortaliças, o CENAPE cultivou a vinagreira (Hibiscus sabdariffa L.) uma planta de múltiplos usos, com importância nutricional, medicinal e ornamental. Caracteriza-se por ser um arbusto anual e rústico com baixa exigência de água e solos férteis. Suas folhas apresentam bons teores de vitaminas A e B1, aminoácidos e sais minerais. No contexto apresentado, este trabalho buscou avaliar a aceitação das folhas de vinagreira apresentadas in natura como salada. Escolheu-se para a avaliação, o teste da escala hedônica verbal com dois pontos. O teste foi aplicado no restaurante universitário da Universidade Federal de Mato Grosso – Campus Universitário de Rondonópolis, e se discorreu na oferta da salada de vinagreira durante o período que o restaurante oferece o almoço. No entanto, durante a oferta, os clientes do restaurante não foram avisados sobre o teste. Na apresentação da salada, estava presente um breve informativo sobre sua importância nutricional. A aceitação por parte das pessoas que frequentaram o restaurante no dia do teste foi de 91,3% (Sim) e 8,3 (Não).

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
CÂNDIDO, Hebert Teixeira et al. Teste de Aceitação da Salada de Vinagreira (Hibiscus sabdariffa L.) no Restaurante Universitário da Universidade Federal de Mato Grosso – Campus Rondonópolis. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 2, jan. 2017. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/21009>. Acesso em: 04 dec. 2020.
Palavras-chave
agroecologia, CENAPE, hortaliças não-convencionais, planta alimentícia não convencional.
Seção
Agroecol 2016 - Desenvolvimento Rural e Urbano em Bases Agroecológicas

Referências

BRASIL. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Manual de hortaliças não-Convencionais. Brasília: MAPA/ACS, 2010. Disponível em: < http://www.agricultura.gov.br/arq_editor/file/vegetal/Qualidade/Qualidade%20dos%20Alimentos/manual%20hortali%C3%A7as_WEB_F.pdf>. Acesso em: 18 ago. 2016.

CÂNDIDO, H. T. RODRIGUES, J. P. A. As plantas não convencionais e a agricultura familiar. In. Simpósio Internacional e Simpósio Nacional de Geografia Agrária, 7., 2015, Goiânia. Anais. Goiânia: UFG, 2015. p. 5443.

CECANE. Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição Escolar – UNIFESP. Manual para aplicação dos testes de aceitabilidade no Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. CECANE – UNIFESP, 2010. Disponível em: < file:///C:/Users/usuario%202/Downloads/manual_aplicacao_testes_de_aceitabilidade_pnae.pdf>. Acesso em: 28 ago. 2016.

CHAVARRIA, P. M. Guía: flor de Jamaica (Hibiscus sabdariffa L.) e (Hibiscus cruentus Bertol). Associación para el Desarollo Eco-Sostenible ADEES, Somotillo – Nicarágua, jan. 2012. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2016.

FAO. Allegato 1 – L’ inventario. Disponível em: < http://www.fao.org/fileadmin/templates/mountain_partnership/doc/1_Inventario_dei_prodotti.pdf>. Acesso em: 18 ago. 2016.

FREITAS, N. M.; SANTOS, A. M. C. M.; MOREIRA, L. R. M. O. Avaliação fitoquímica e determinação de minerais em amostras de Hibiscus Sabdariffa L.. Cadernos de Pesquisa, São Luís, v. 20, n. 3, p. 65-72, set./dez. 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2016.

KINUPP, V. F.; LORENZI, H. Plantas alimentícias não convencionais (PANC) no Brasil: guia de identificação, aspectos nutricionais e receitas ilustradas. São Paulo: Instituto Plantarum de Estudos da Flora, 2014. p. 482-483.

VIZZOTTO, M.; PEREIRA, M. C. Hibisco: do uso ornamental ao medicinal, Jan. 2010. Disponível em: < http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/43144/1/hibisco-uso-ornamental-2010.pdf>. Acesso em: 10 ago. 16.