10766 - Novas concertações sociais e antigos entraves “burocráticos”: a produção de base familiar e ecológica frente aos desafios de acesso ao PNAE

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Cláudio Becker Fabiana da Silva Andersson Shirley Grazieli Nascimento Altemburg Lisiane Centeno Costa

Resumo

São notáveis as mudanças sofridas em determinados processos de desenvolvimento rural, sobretudo, alguns implementados a partir da última década através de instrumentos de políticas públicas para a agricultura familiar. Esta categoria social tem reconhecida sua transversalidade e assume um caráter estratégico no que concerne à soberania e a segurança alimentar. Todavia, para tanto, os agricultores familiares tiveram de lançar mão de uma ampla gama de mecanismos associativos, de forma a aprimorar sua organização social, objetivando o acesso aos programas governamentais. Não obstante, a produção de base ecológica é oficialmente reconhecida. Neste cenário, emergem os mercados institucionais para a agricultura familiar, os quais apesar de expressarem elevado grau de inovação, quando analisados do ponto de vista pragmático, apresentam diversas carências, algumas das quais nos propomos a discutir neste trabalho.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
BECKER, Cláudio et al. 10766 - Novas concertações sociais e antigos entraves “burocráticos”: a produção de base familiar e ecológica frente aos desafios de acesso ao PNAE. Cadernos de Agroecologia, [S.l.], v. 6, n. 2, nov. 2011. ISSN 2236-7934. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/10766>. Acesso em: 21 sep. 2020.
Palavras-chave
Mercados institucionais, políticas públicas, agricultura familiar.
Seção
VII CBA - 2. Sociedade , Saúde e Soberania alimentar